Imagem desoladora revela porque precisamos mudar a nossa relação com os animais selvagens

Imagem desoladora revela porque precisamos mudar a nossa relação com os animais selvagens
Fotos: Jo-Anne McArthur/My Dream For Animals

O comércio ilegal de vida selvagem é um mercado negro mundial que visa espécies de animais raras e em extinção para seu uso como animais de estimação exóticos, alimento, ingredientes medicinais, joias, ornamentos domésticos e outros. O seu efeito nas populações em extinção tem sido devastador.

Por exemplo, aproximadamente cem elefantes africanos são mortos pelas suas presas de marfim – que são frequentemente transformadas em ornamentos decorativos – todos os dias. Entre 2012 e 2015 apenas, mais de cento e três mil elefantes foram mortos por caçadores. A África já perdeu 60 por cento da sua população de elefantes e muitos especialistas em conservação temem que a população de elefantes seja extinta até 2025.

Gorilas, leões, tigres, e rinocerontes – citando apenas alguns – também são visados, capturados e mortos por caçadores ilegais em um ritmo alarmante. O dano que o comércio ilegal de vida selvagem tem causado às populações vulneráveis de animais é um dos fatores que mais contribuem para a sexta extinção em massa na Terra.

Uma extinção em massa é definida pelo desaparecimento de 75 por centro da biodiversidade da Terra dentro de um período de três a vinte e dois séculos. Um relatório recente e chocante do Fundo Mundial da Vida Animal (WWF) e da Sociedade Zoológica de Londres divulgou que 58 por cento da vida selvagem do nosso planeta foi perdida apenas nas últimas quatro décadas, principalmente por conta de atividades humanas. Enquanto a perda de habitat e o desmatamento tem um papel fundamental na perda de tantos animais da Terra, não há dúvidas de que o comércio ilícito de vida selvagem também tem culpa.

O sofrimento dos animais inocentes capturados por esse terrível comércio foi recentemente divulgado pela renomada fotógrafa Jo-Anee McArthur. O trabalho pioneiro de McArthur há muito tempo procura mostrar a crueldade que os animais sofrem nas mãos humanas.

Nesta desoladora imagem, o amor e a devoção que esse jovem macaco sente pela sua mãe pode ser visto claramente.

É óbvio que o laço de amor entre essa mãe e o bebê é exatamente o mesmo que a poderosa conexão que pais e filhos humanos têm. Tragicamente, a separação de mães de suas proles é uma ocorrência rotineira para animais pegos pelo comércio ilegal de vida selvagem. Macacos visados para a venda como animais de estimação exóticos, por exemplo, são frequentemente separados de suas mães muito cedo para que sejam mais dóceis e atendam às vontades de seus tratadores mais facilmente.

Mesmo sendo difícil afirmar com certeza qual será o destino deste pequeno macaco, uma coisa que essa imagem demonstra definitivamente é que quando animais jovens são retirados de suas mães para satisfazer a ganância dos humanos pelo lucro, ele será devastador. Essa foto nos lembra de que todos nós devemos fazer o que podemos para elevar a conscientização sobre o mal que o comércio ilegal de vida selvagem tem causado a seres vulneráveis por todo o planeta.

Para saber como você pode ajudar a por um fim a este comércio, confira os artigos abaixo (em inglês):

Por  Aisling Maria Cronin / Tradução de Carla Lorenzatti Venturini

Fonte: One Green Planet 


Nota do Olhar Animal: Outra mudança necessária é no entendimento de que não devemos/podemos fazer nada pelos animais silvestres. Podemos e devemos, sim. Aliás, intervenções já são feitas diariamente, e comumente para prejudicar os animais e/ou adaptar situações aos interesses humanos.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.