Imoral: grupos combatem o abate de javali realizado pelo National Trust, no Reino Unido

Imoral: grupos combatem o abate de javali realizado pelo National Trust, no Reino Unido
Um javali se recusa a ser intimidado por um humano na floresta de Dean, no Reino Unido. Foto: David Slater/Alamy

Ativistas afirmam que o abate realizado na propriedade de Stourhead, no Reino Unido, é equivocado, pois há somente um episódio de ferimento recente envolvendo javalis.

Seis grupos defensores dos direitos dos animais criticaram duramente as ações tomadas pelo National Trust para o abate de javalis em uma de suas mais renomadas propriedades como “equivocadas e imorais”.

Os grupos, que incluem o Animal Aid e o Born Free, escreveram uma carta ao presidente do National Trust, Tim Parker, onde solicitam a suspensão do abate na propriedade de Stourhead, em Wiltshire.

Eles alegam que o argumento do National Trust, de que houve necessidade de abater o javali porque as pessoas estavam se sentindo intimidadas, é absurdo, uma vez que há somente um episódio recente, no Reino Unido, de uma pessoa que tenha, na verdade, sido atacada por um javali.

A carta, vista pelo jornal britânico The Guardian, dizia: “Consideramos o abate equivocado, imoral e contraditório às finalidades do National Trust”.

“Eliminar seres vivos conscientes pelo simples fato de, supostamente, causarem sensação de desconforto é um absurdo. Os javalis são animais tímidos por natureza, o que dificulta até mesmo que fotógrafos de vida selvagem consigam fotografá-los no Reino Unido”.

“Eles evitam os humanos a todo custo e, no reino Unido, os ataques são extremamente raros. Na realidade, encontramos o registro de apenas um único relato divulgado pela mídia, a respeito de um ferimento causado, recentemente, por javalis. A medida drástica tomada pelo National Trust sugere a ocorrência de inúmeros ataques. No entanto, fatos revelam que confrontos são extremamente raros”.

O ferimento a que eles se referem foi sofrido por Clive Lilley, que alegou que a ponta do seu dedo foi arrancada mordido por um javali na Floresta de Dean, em Gloucestershire.

A carta acrescenta: “Pedimos ao National Trust que acabe com seus planos para um abate de javalis e, ao invés disso, redirecione as verbas que seriam utilizadas na trágica morte prematura destes animais raros para a educação tanto pública como dos funcionários do National Trust sobre o comportamento e a maneira correta e segura de interagir com os javalis”.

Outros grupos que também assinaram a carta são: Humane Humane Society International, no Reino Unido, International Fund for Animal Welfare (IFAW), People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) e Viva!

A ativista da vida selvagem do grupo Animal Aid, Jade Emery, afirma: “A última coisa que o raro javali precisa é ser perseguido e demonizado por uma instituição que garantiu em juramento se esforçar para ajudar a preservar a vida selvagem em seu território”.

A diretora da Humane Society International do Reino Unido, Claire Bass, afirma: “Como membro do National Trust, fico extremamente desapontada com o fato de tentarem encontrar uma solução para o problema relacionado à vida selvagem sob a mira de uma arma”.

Mark Jones, o chefe de políticas do grupo Born Free e também membro de confiança, afirma: “O National Trust não pode sair matando animais selvagens só porque algumas pessoas acreditam que eles sejam uma inconveniência”.

O porta-voz do National Trust, defende: “Não foi uma decisão fácil de ser tomada. Infelizmente, há casos em que o controle humano é imprescindível, por exemplo, casos onde há preocupações com a segurança de visitantes, funcionários ou voluntários ou proteção de outras espécies ou habitats.

Nesse caso, houve vários relatórios de pessoas que alegaram terem sido confrontadas e intimidadas por javalis, que acreditamos que foram soltos próximos à propriedade.

Tomamos essa decisão após considerar criteriosamente todas as alternativas e consultar a Natural England (órgão público não-departamental do Reino Unido).

“Qualquer abate será realizado por um atirador experiente e licenciado que esteja em conformidade com os padrões de segurança e bem-estar animal do National Trust.”

Tradução de Renata Tepedino

Fonte: The Guardian

Controle populacional de javalis

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.