Incêndio no Parque Zoobotânico no PI causa preocupação com animais

Incêndio no Parque Zoobotânico no PI causa preocupação com animais

Um incêndio no Parque Zoobotânico, na Zona Leste de Teresina, tem deixado cuidadores de animais e frequentadores preocupados. Segundo a direção do parque, o fogo teve início na terça-feira (4) e já chega próximo ao recinto dos macacos e os bombeiros encontram dificuldades para controlar as chamas. O mesmo local já tinha sido atingido em 2013 e 2014.

Animais estão sendo remanejados para outras áreas (Foto: Ellyo Teixeira/G1)
Animais estão sendo remanejados para outras
áreas (Foto: Ellyo Teixeira/G1)

De acordo com o diretor do parque, José Renato Uchoa, a situação é tão grave que animais já foram encontrados carbonizados. “Ainda não fizemos uma vistoria detalhada da área queimada, mas superficialmente já visualizamos o estrago e chegamos a encontrar uma paca morta pelo fogo. Isso chega a doer na gente e nos deixa extremamente preocupado porque não sabemos quantas vidas selvagens se foram”, disse.

Ainda segundo o diretor, foi solicitado um reforço de policiais para a polícia ambiental para controlar o fogo e alguns animais tiveram que ser remanejados. “Já tivemos que remanejar 10 cobras jiboias para um local mais seguro, preguiças e outros animais também foram mudados de locais”, comentou.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vegetação seca facilitou a propagação das chamas e as causas estão sendo apuradas para saber se o fogo teve origem criminosa. A direção do Zoobotânico disse ainda que no parque existem mais de 200 animais e 137 hectares de terra, sendo que mais de 30 já foram atingidas.

“O prejuízo é enorme, pois tivemos mais de 30% destruída pelo fogo que ainda não foi controlado. Além disso, a fumaça está deixando os animais estressados e assustados. Estamos buscando soluções imediatas”, afirmou Renato.

Grande quantidade de fumaça tem afastado os frequentadores (Foto: Ellyo Teixeira/G1)
Grande quantidade de fumaça tem afastado os frequentadores (Foto: Ellyo Teixeira/G1)

Por Ellyo Teixeira

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.