Índia está matando milhares de animais selvagens

Índia está matando milhares de animais selvagens

Por Manu Balachandran / Tradução de Alice Wehrle Gomide

A Índia está em guerra com seus animais selvagens.

Ao longo dos últimos meses, as autoridades declararam, ou tentaram declarar, como pestes um bando inteiro de animais selvagens que aparentemente estão em conflito com humanos, particularmente os fazendeiros.

De acordo com as novas regras estabelecidas pelo Ministério do Meio-Ambiente da Índia, liderado pelo ministro Prakash Javadekar, três animais selvagens – o nilgai (grande antílope indiano), o javali selvagem e o macaco rhesus – agora podem ser mortos em alguns estados. Isto simplesmente se deve ao fato de que estas “pestes” danificam as plantações. Quando um animal é declarado uma peste, seu abate é permitido por certo período.

O governo indiano publicou uma notificação em dezembro de 2014 pedindo aos governos estaduais por uma lista de animais que eles consideram pestes. Um ano depois, o ministério publicou outra notificação que permitia javalis selvagens e o nilgai – o maior antílope da Ásia – serem mortos no estado de Bihar. O governo do estado alega que nilgais, cujo número vem crescendo exponencialmente, danificam as plantações.

Em fevereiro deste ano, o governo permitiu que Uttarakhand, no norte da Índia, realize o abate de javalis selvagens. Uma autorização similar foi dada ao estado vizinho Himachal Pradesj em maio para se livrar dos macacos. Dois outros estados, Maharashtra e Gujarat  estão esperando autorização para matar nilgais.

Enquanto isso, o estado ocidental de Goa está estudando uma proposta para tornar os pavões uma peste, ao passo que West Bengal está procurando a autorização do ministério do meio-ambiente para  capturar elefantes selvagens porque eles matam humanos.

“Quando os governos estaduais nos escrevem sobre fazendeiros sofrendo devido ao dano causado nas plantações pelos animais, então tais autorizações são cedidas”, disse no último dia 10. “É pela recomendação dos governos estaduais; também é uma lei antiga”.

A Índia enfrenta conflitos entre homens e animais por décadas. Mas o abate desses animais somente reforça a falta de um mecanismo para liderar com o assunto.

“Esta é uma maneira ridícula de lidar com animais selvagens”, disse Sreedhar Ramamurthi, um cientista ambiental e Gerente da Environics Trust, uma ONG em New Delhi. “Não houve nenhum estudo científico para entender o crescimento de suas populações ou sobre como eles são um obstáculo para fazendeiros ou para a vida humana”.

Os planos do Ministério do Meio-Ambiente também receberam fortes críticas da ministra pelo bem-estar das crianças e das mulheres do país, Maneka Gandhi, que é uma ativista expressiva dos direitos dos animais.

“O Ministério do Meio-Ambiente, por conta própria, publicou uma carta pedindo aos estados que apresentem propostas (para matar os animais selvagens)”,  disse Gandhi. “Eles até mesmo deram o aval para matar elefantes em West Bengal, javalis selvagens em Uttarakhand, pavões em Goa, nilgais em Bihar. Eu não entendo esta sede por matança”.

Entretanto, a ativista dos direitos dos animais Gauri Maulekhi levou o Ministério do Meio Ambiente para a corte, argumentando que o abate criaria um desequilíbrio ecológico. A suprema corte da Índia deve ouvir a apelação esta semana.

Fonte: Quartz

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.