Indústria de carne de cachorro cresce com roubo de animais no Vietnã

Indústria de carne de cachorro cresce com roubo de animais no Vietnã

Muitos animais são espancados porque clientes acreditam que a carne fica mais saborosa.

VIETNA 154841 ext arquivo

A indústria de carne de cachorro ganha cada vez mais espaço no Vietnã. Retirados das ruas e até mesmo roubados, centenas de cães são confinados em gaiolas, esperando a morte cruel.

De acordo com ativistas contrários à prática, pelo menos sete toneladas de cães são transportadas todos os dias até Hanoi, a capital vietnamita
Os animais são capturados por ladrões, que usam carros e motos para levá-los até o local do abate.

Eles são vendidos de acordo com o peso, então, os animais capturados são alimentados à força através de funis, para ganhar peso.

Cerca de 2.000 cães passam dias enjaulados, e pelo menos 200 dividem uma pequena gaiola.

Depois de colocados em gaiolas, os animais são deixados em buracos profundos antes de serem abatidos e vendidos para restaurantes locais. 

Em um documentário feito pelo Channel 4, um dos proprietários de um matadouro confessou matar até 30 cães por dia.

Um dos ladrões de cães disse também que ganha cerca de R$ 250 (US$ 100) por noite roubando animais. Um deles disse que já roubou mais de 3.000 cães em uma noite.

Embora existam regras para o abate de bovinos, suínos e aves no Vietnã, mas nenhuma legislação fala sobre a matança de cachorros. Alguns cães são mortos de forma cruel, com repetidos golpes na cabeça.

Fonte: Tribuna Hoje

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.