Inglaterra: Cão vítima de maus-tratos encontrado com roupa ‘colada’ à pele

Mãe e filha podem enfrentar pena de prisão depois de o cão de ambas ter sido encontrado com uma camisola já colada à sua pele. Poppy, um Terrier West Highland, foi encontrado com a pele em ferida depois de tanto se coçar.

Gail Bradshaw, de 64 anos, uma magistrada, e a sua filha Nicola, de 29, decidiram parar o tratamento que o animal estava a realizar no veterinário, sendo que Poppy tinha sido diagnosticado com uma infeção da pele. E o animal vivia há mais de três anos sem qualquer tratamento.

Consultada pela justiça, uma equipa de veterinários explicou que tinha sido muito difícil tirar a camisola que o animal levava vestida porque já estava colada à pele. Vicki McDonald, veterinária, disse ainda que “a gravidade das condições da pele e a perda de pelos sofrida pelo animal foram as piores” que viu em 15 anos, escreve o Metro britânico.

Em sede de tribunal, a dona do animal defendeu que parou o tratamento veterinário por achar que não estava a funcionar, decidindo então procurar ajuda na Internet e junto de amigos. Porém, nos dois anos seguintes, a condição de Poppy deteriorou-se para o estado em que o canídeo foi encontrado.

Depois de começar a ser tratado de forma adequada, Poppy melhorou rapidamente. E as proprietárias do animal, mãe e filha, foram consideradas culpadas das acusações de causar sofrimento desnecessário ao animal. Ainda não são conhecidas, porém, as sentenças.

Fonte: Notícias ao Minuto / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.