Internauta denuncia abandono e maus-tratos de animais no Jardim Presidente, em Cascavel, PR

Internauta denuncia abandono e maus-tratos de animais no Jardim Presidente, em Cascavel, PR

Uma internauta procurou a reportagem da CGN para contar a sua indignação a respeito de um suposto caso de abandono e maus-tratos de animais.

O descaso, segundo ela é sobre dois cachorros que estão no quintal de uma residência localizada na Rua Emílio de Menezes esquina com a Pampulha, no Jardim Presidente.

 Conforme explica a internauta, o tutor dos cachorros estaria “há mais de uma semana” fora de casa e os animais estariam esse tempo todo sem cuidados. Ela diz que não há água e nem comida para eles e que os cães já estão enfraquecidos e desidratados por conta dessa situação.

A mulher conta ainda que já teria sido ameaçada pelo dono dos animais por questionar a forma que estão sendo tratados. “Essa situação de maus tratos é de muito tempo. É sempre a mesma coisa e ninguém faz nada. Os cachorros morrem aí ele acha outro, até morrer novamente de fome e sede”, denuncia a internauta.

A mulher disse que já descreveu o caso aos órgãos competentes, mas que, até o momento dessa publicação, a sua solicitação não teria sido correspondida.

O desejo dela é de que alguma providência seja tomada para que os animais sejam resgatados dessa situação de abandono o mais rápido possível, pois ela teme que eles acabem morrendo.

A tutora dos animais entrou em contato com a CGN para responder às acusações. Ela informou que as denúncias são falsas. Segundo ela, os cachorros estão na família há mais de uma década e sempre foram bem cuidados e nunca passaram fome.

Ela ainda informou que os animais estão em um lar provisório, que é a casa do sogro, pois tanto a tutora dos animais quanto o marido dela estão com Covid-19 e não podem ir até a casa de uma pessoa no grupo de risco para buscar os animais. Assim que ambos estiverem livres da doença, os animais serão levados para um sítio.

Por Gian Almeida

Fonte: CGN

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.