Iscas envenenadas causam a morte de vários animais na região de Alicante, Espanha

Iscas envenenadas causam a morte de vários animais na região de Alicante, Espanha
Veneno de animais.

Análises de laboratório confirmaram a presença de restos de aldicarb, um pesticida de alta letalidade, em Banyeres de Mariola, Castalla e Agost.

A Guarda Civil de Alicante, através do Serviço de Proteção da Natureza investiga, dois homens, um em Banyeres de Mariola e outro, em La Nucía, como supostos autores de um crime relativo à proteção à flora, fauna e animais domésticos, pela utilização de iscas envenenadas, sendo que algumas resultaram em morte.  Na mesma operação, foram abertas sete atas administrativas por fatos semelhantes ocorridos nas localidades vizinhas de Mariola, Castalla y Agost. 

No âmbito da operação “Antitox”, relativa à luta contra o uso de iscas envenenadas, assim como instrumentos e meios massivos e não seletivos utilizados contra a fauna, agentes da Patrulha de Comando do Serviço de Proteção da Natureza (PACPRONA), em conjunto com a Unidade de Cinologia da Guarda Civil de Valencia e Agentes do Meio Ambiente da Governo Autônomo de Valência, procederam à realização de numerosas inspeções em sítios e estábulos em diversas localidades da província. A investigação se iniciou no final de outubro de 2019,   após detectarem vários episódios de envenenamento em distintos pontos de Banyeres de Mariola, Castalla e Agost, e que finalizou com uma pessoa investigada como suposto autor de vários delitos relativos à proteção da flora, fauna e animais domésticos e outras sete pessoas denunciadas por infrações administrativas em relação à posse de artigos de caça não seletivos, posse irregular de armas e comércio de produtos pesticidas.

No total, os agentes encontraram: 76 instrumentos e/ou meios massivos e não seletivos de caça como: jaulas armadilhas, armadilhas de mandíbulas, cordas, costelas, redes para captura de coelhos e aves silvestres e duas armas de ar comprimido; 18 espécies de fauna silvestre ou animais domésticos: aves canoras protegidas, furões, cadáveres de distintos animais (uma raposa, cães e gatos; 62 quilos/litros de pesticidas/fitossanitários, alguns destes proibidos e medicamentos não autorizados ou vencidos e comercializados em estabelecimento não autorizado.

Uso de pesticida com resultado de morte

Entre estas inspeções realizadas, destaca-se a descoberta de dois cadáveres de animais domésticos com sintomas de envenenamento em um sítio de Banyeres. Após recolhidas as amostras, os resultados do laboratório confirmaram que foi o Aldicarbe, um pesticida não autorizado e altamente letal, a substância que provocou a intoxicação e posterior morte dos animais. O mesmo pesticida foi encontrado depois dentro de um recipiente, escondido em uma cabana anexa à residência do mesmo sítio. 

Os agentes também descobriram que o proprietário tinha em seu poder espécies vivas de aves canoras, cuja captura e posse está proibida, além de possuir artigos proibidos, massivos e não seletivos de caça de aves. 

Fotos: Guarda Civil / Mº Interior

Finalmente, este indivíduo terminou sendo investigado como suposto autor de vários crimes relacionados à proteção da flora, fauna e animais domésticos, a isso acrescentou-se ainda a resistência e desobediência grave aos agentes da autoridade por ter desmontado a cabana onde tinha as aves escondidas. 

Outro uso de veneno misturado com comida

Em outro local, um loteamento em La Nucía, guardas civis do SEPRONA de Altea investigam o proprietário de um chalé como suposto autor de crime contra a proteção da flora, fauna e animais domésticos por colocar veneno para caracóis (Metaldeído), misturado com comida para gatos na área externa de seu jardim. Até o momento, não se conseguiu creditar a morte de nenhum gato, apesar de que o veneno poderia ter provocado dano e morte a outras espécies do lugar, como as aves, uma vez que se trata de uma substância não seletiva. 

Tradução de Katia Buffolo

Fonte: La Informacion

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.