Jacarés que vivem em lagoa urbana de MS são removidos para evitar ataques; cachorro foi morto em maio deste ano

Jacarés que vivem em lagoa urbana de MS são removidos para evitar ataques; cachorro foi morto em maio deste ano
Doze jacarés são removidos da Lagoa Maior em Três Lagoas (MS) para evitar ataques. (Foto: TV Morena/Reprodução)

Doze jacarés estão sendo removidos da Lagoa Maior em Três Lagoas (MS), a 326 km de Campo Grande. A transferência dos animais para ambientes mais seguros começou na última quarta-feira (17). A medida é uma exigência do Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul.

Não há registro de ataques a humanos, mas em maio deste ano, o cachorro de uma criança que brincava na água foi morto por um jacaré de quase 2 metros de comprimento. Outro caso semelhante foi registrado em 2017. Após o ataque, o Ibama analisou a retirada dos animais da lagoa.

A decisão do MPE que determinou a retirada dos jacarés pela Prefeitura de Três Lagoas, foi para evitar possíveis ataques: “A presença dos animais está conflitando com a participação dos humanos, existindo risco para ambos”.

 

Momento em que jacaré abocanha cachorro em MS. (Foto: G1 MS)

A captura é feita por auxiliares de pesquisa da Embrapa Pantanal, que usam iscas de carne para atrair os jacarés de papo amarelo. O tamanho da lagoa que fica no centro da cidade, dificulta a localização dos animais, por isso o uso das iscas.

Segundo a Secretaria de Meio ambiente do município, não há previsão de quando todos os jacarés que vivem na lagoa serão capturados. Os animais encontrados até agora devem ser transferidos em 40 dias.

O biólogo Flávio Gardim, explica que além de retirar os jacarés, o município também monitora a procriação dos animais: “Em 1 ano foram retirados 40 ovos, em 2017 foram mais de 60. Esse monitoramento evita o surgimento de novos ninhos e consequentemente o nascimento de filhotes”.

Por Lucas Oliver / Supervisionado pela jornalista Jaqueline Naujorks

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.