Antes de ganhar a liberdade, jaguatirica recebeu todos os cuidados veterinários: respeito à vida — Foto: Divulgação/Cart

Jaguatirica justifica por quê felino tem fama de ter ‘7 vidas’

É possível dizer que a vida deu duas chances a um macho de jaguatirica na região de Bauru, no Centro-Oeste paulista. Encontrado com vários ferimentos pelo corpo no último dia 25 de março na Rodovia João Baptista Cabral Rennó (SP-225), o animal foi atendido, se recuperou de forma rápida e recentemente pôde ser reintroduzido à natureza.

VÍDEO: De volta à natureza: jaguatirica ganha nova chance no Interior paulista

Para nós é uma sensação de dever cumprido.”
— Osnir Giacon, gerente de Meio Ambiente da concessionária que participou da recuperação.

Não se sabe ao certo a causa dos ferimentos. Todo o processo de recuperação foi realizado pelo Centro de Tratamento do Zoológico Municipal de Bauru. Debilitada, a jaguatirica apresentava um quadro de desidratação, além de ferimentos na cabeça e na coxa direita. Durante o atendimento, os veterinários se surpreenderam ao encontrar um projétil alojado na patela direita do felino, no entanto, sem um ferimento aparente.

Tudo leva a crer que o animal já havia sido alvo de caça predatória pela mata, mas conseguiu escapar dos agressores. De acordo com o Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, coordenado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e lançado no ano passado, a caça é uma das maiores causas de declínio da espécie no Brasil.

Uma parceria entre o Zoológico de Bauru e a concessionária Cart permite o encaminhamento e tratamento de animais silvestres encontrados com ferimentos em rodovias administradas pela empresa. “Para nós é uma sensação de dever cumprido. O trabalho desenvolvido de preservação da fauna silvestre, de Bauru a Presidente Epitácio, envolve desde a instalação de uma ampla estrutura de travessia segura dos animais, com passagens de fauna e telas de condução, até a orientação a motoristas sobre a prevenção a acidentes, além do resgate dos animais e o encaminhamento para tratamento quando ocorre o acidente”, explica Osnir Giacon, gerente de Meio Ambiente do grupo.

Quando um animal ferido é resgatado e recebe tratamento veterinário adequado, se recupera e tem a chance de retornar à natureza, isso deve ser comemorado.”
— Fernanda Abra, bióloga

A soltura da jaguatirica macho foi feita a cerca de 100 km de Bauru, em uma área de mata determinada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Toda a operação foi acompanhada por equipes de veterinários, biólogos do zoológico e integrantes da área ambiental da concessionária.

Reintegrada ao seu ambiente natural em fase reprodutiva, a jaguatirica pode ainda contribuir com a multiplicação da espécie, que se encontra, como já mencionado, em vulnerabilidade de extinção.

Momento da soltura do animal na mata é registrado: chance de perpetuar uma espécie que está ameaçada — Foto: Divulgação/Cart
Momento da soltura do animal na mata é registrado: chance de perpetuar uma espécie que está ameaçada — Foto: Divulgação/Cart

Vitória

Para Fernanda Abra, bióloga da Via Fauna e mestre em ecologia pelo Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB/USP), a reintrodução dessa jaguatirica no meio ambiente é uma vitória. “Quando um animal ferido é resgatado e recebe tratamento veterinário adequado, se recupera e tem a chance de retornar à natureza, isso deve ser comemorado. Vida longa à essa jaguatirica!”, celebra ela.

Por Fábio Gallacci, Terra da Gente

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.