Jardim zoológico na Ucrânia atingido por mísseis russos. Deslocar os animais não é opção

Jardim zoológico na Ucrânia atingido por mísseis russos. Deslocar os animais não é opção
O zoo de Mykolaiv foi já bombardeado quatro vezes pelas topas russas desde que começou a invasão da Ucrânia. Reprodução Twitter / MFA of Ukraine

Uma autêntica ilha no meio da guerra, o jardim zoológico de Mykolaiv tem procurado manter-se em funcionamento, cuidando de todos os animais, mesmo bombardeado pelas tropas russas.

Sem visitantes, e com recurso a doações para manter os cerca de quatro mil animais alimentados e protegidos, o jardim zoológico de Mykolaiv localiza-se no sul da Ucrânia, na cidade com o mesmo nome. Em Mykolaiv está uma das pontes mais importantes para a travessia das tropas russas em direção a Odessa, a cobiçada cidade do sul ucraniano.

O primeiro míssil russo atingiu o zoo a 27 de fevereiro, e destruiu o passeio que divide a área dedicada aos tigres do espaço reservado aos ursos polares. O míssil é agora uma peça da exposição do museu do zoo, um espaço com mais de 120 anos de história, conta a AFP.

Desde então, o jardim zoológico foi atingido por artilharia russa mais três vezes, uma delas esta quarta-feira, segundo o Telegraph. Em duas ocasiões, uma delas ocorrida no dia 12 de março, os mísseis atingiram o terreno do zoo numa área próxima dos escritórios administrativos.

Das cerca de 400 espécies existentes no jardim zoológico de Mykolaiv — de entre as quais cinco espécies raras de felinos, 66 de mamíferos e 2 de aves — cerca de metade encontra-se na categoria de espécies em risco de extinção, explicou o diretor do zoo, Volodymyr Topchyi.

A retirada dos animais para outro local, por enquanto, não é uma opção.

Não há veículos suficientes para transportar os animais, e a única estrada para Odessa está congestionada com o trânsito”, esclareceu o diretor. “E continua bastante frio. Se transportássemos as girafas, os elefantes e os hipopótamos, existe o risco de que não sobrevivam [à viagem].”

Cerca de 100 funcionários continuam a trabalhar no zoo, e algumas das pessoas como o zoólogo Dyakonov e a sua mulher, uma veterinária, optaram por dormir no jardim zoológico, para reduzir o risco com viagens pela cidade.

Para vir de onde vivo tenho de atravessar uma ponte que e é levantada e baixada em momentos aleatórios, pelo que não é certo que consiga chegar ao trabalho”, explicou o zoólogo. “É por isso que eu e a minha mulher optámos por permanecer no zoo por uns tempos, enquanto a situação é instável.”

O jardim zoológico tem vendido bilhetes online, ainda que sem poder receber público, como meio de suportar os encargos com o tratamento dos animais. Estes bilhetes podem ser adquiridos por entre 25 e 100 hryvnia ucranianas — o equivalente a valores entre os 0,77 cêntimos e os 3,09 euros.

Por Diogo Paredes

Fonte: Observador

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.