Jovem acusa ex de sequestrar cachorro, em Vila Velha, ES

Jovem acusa ex de sequestrar cachorro, em Vila Velha, ES
Pit bull sequestrada pelo ex da dona (Foto: Keyllanne Martin/ Foto leitor - A Gazeta)

Uma jovem de 23 anos acusa o ex-namorado de ter roubado e agredido a cachorra dela no último sábado (17), em Vila Velha, Grande Vitória. Keyllanne Martins, que tem uma medida protetiva por conta de duas agressões do ex, conseguiu resgatar a pit bull, de cinco meses, após fazer um apelo nas redes sociais.

Keyllanne conta que estava com o atual namorado, indo passear com a cachorra na frente de casa, em Guaranhuns, quando o ex chegou.

“Ele brincou com a Mia e saiu. Mas ele não pode se aproximar de mim nem da minha casa. Precisa ficar a uma distância de 500 metros por causa da medida protetiva. Depois, voltou e pegou a cachorra. Meu namorado tentou impedir, mas foi ameaçado por ele”, disse.

Keyllanne relatou que, na mesma hora, ligou para a polícia e falou que tinha uma medida protetiva contra o acusado.

“Quando liguei para o 190 pediram para eu esperar uma viatura. Fiz seis ligações. Após duas horas, uma viatura passou na rua e meu namorado foi atrás dela. Os policias disseram que já passava das 17h e eles não podiam fazer nada”, falou.

Junto ao namorado, Keyllanne disse ter ido a um posto policial em Praia das Gaivotas. “Pediram para ligar para o 190 e disseram que era apenas um cachorro. Fiz um boletim de ocorrência online por agressão. Ontem (domingo) voltei no posto e me orientaram a ir à Polícia Civil hoje para fazer outro BO. Vou fazer por agressão à cachorra e outro por descumprimento da medida protetiva. Meu medo é ele chegar atirando na minha casa, comigo e a minha família dentro”, destacou.

Resgate

Ao ficar sem a pit bull, a jovem fez um apelo nas redes sociais. “Como o padrasto dele disse que a cachorra não estava em casa, imaginei que o meu ex fosse vendê-la. Ele postou em um desses grupos do WhatsApp de compra e venda de pit bull. Pedi que, se alguém tivesse nesses grupos, me informasse sobre a cachorra. Uma menina viu e o pai dela ligou para ele, dizendo ser PM e pedindo para devolver o animal”, contou.

De acordo com Keyllanne, o ex teria mandado uma mensagem para ela dizendo que não tem medo de policial e que devolveria o animal se ela retirasse a medida protetiva.

“Eu disse que tiraria e um amigo dele trouxe a cachorra para mim, mas ela estava toda machucada. Ela saiu da minha casa saudável. Agora está com a orelha caída e chora de dor. Parece que ele chutou ela toda. Não deu comida e nem água para ela. Estava desidratada e não consegue ficar em pé. Uma veterinária me disse que ela precisa de um raio-x. Como não tenho condições, preciso de ajuda para tratar dela”, falou a jovem.

Histórico

O relacionamento de Keyllanne e o ex durou um ano e sete meses. “A primeira agressão foi quando a gente estava tentando voltar o namoro. Fiz um boletim de ocorrência na delegacia. A segunda foi no meio da rua e, há cerca de quatro meses, consegui a medida protetiva”, disse.

Polícia Militar

Em nota, a Polícia Militar informou que a direção do Centro Integrado de Operações e Defesa Social (Ciodes) está apurando a reclamação da jovem.

Por Laila Magesk

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.