Judiciário investiga maus-tratos a animais em fazendas na Espanha

Judiciário investiga maus-tratos a animais em fazendas na Espanha

Em 2018, a Animal Equality, em colaboração com o programa de televisão espanhol Salvados, investigou uma fazenda de porcos que fornece para uma empresa internacional de carne: El Pozo.

As descobertas foram chocantes, está documentado que os animais sofriam por semanas em consequência das condições cruéis a que eram submetidos, isto é uma grave violação das leis espanholas, razão pela qual os irmãos Carrasco, proprietários da fazenda investigada, estão sendo acusados ​​de quatorze crimes contra os animais.

Até o momento, destacou-se o depoimento de um perito judicial, concluindo que os maus-tratos aos animais ocorreram por omissão, uma vez que as hérnias e lesões que os porcos apresentavam não haviam recebido nenhum atendimento médico veterinário, causando dores que impediam qualquer tipo de repouso ou repouso.

Além disso, o inspetor veterinário que visitou a fazenda após a divulgação das imagens obtidas, disse que o número de animais que foram encontrados mortos dentro das instalações é mais que o dobro do esperado em uma fazenda, é importante lembrar que a taxa de mortalidade é uma das variantes que revelam a falta de bem-estar animal, pois está relacionada a doenças e lesões que podem ser causadas por diversos fatores.

A testemunha da equipe de Salvados disse que, apesar de ter entrado em muitas fazendas, nunca tinha visto ou cheirado nada parecido:

Havia porcos mortos por todo o lado, outros em péssimas condições e com malformações. O que mais me chamou a atenção quando saí foram os contêineres cheios de animais mortos e apodrecidos. “Nunca senti nada parecido em toda a minha vida.

Javier Moreno, cofundador da Animal Equality que também participou nesta investigação, foi convocado como testemunha e destacou que a maioria dos animais estavam doentes, o que representa um grave problema de saúde pública, além de torná-la a pior fazenda que já viu em sua vida, segundo sua declaração.

Apesar dos acusados tentarem se defender dizendo que aquela não é a sua fazenda, há provas que o indicam, as coordenadas coincidem completamente.

A pena pode chegar a 3 anos de prisão e 9 anos sem poder ter animais

Por se tratar de uma conduta contínua de maus-tratos a animais, o Ministério Público pede 18 meses de prisão e 4 anos sem poder ter nenhum animal, porém, a Igualdade Animal como acusação popular, exige a pena máxima prevista em lei para cada um dos 14 crimes documentados: 3 anos de prisão e 9 anos de proibição de posse de animais.

É imperativo que defendamos os animais nos tribunais. “Este caso não só constitui o maior escândalo de abuso agrícola na história de Espanha, mas também pode ser um marco e um exemplo na história da defesa legal contra a crueldade contra os animais. Dulce Ramíez, vice-presidente da Animal Equality para a América Latina

O abuso de animais na Espanha não é diferente daqui no Brasil

Os porcos que sofreram neste caso de maus-tratos na Espanha poderiam facilmente ser um dos milhões de porcos nas fazendas do Brasil, onde já documentamos o que estes animais sofrem desde os primeiros dias de vida. Assista ao vídeo da nossa investigação em granjas e matadouros de porcos no Brasil.

Faça a sua parte para ajudar esses animais

Como consumidores, temos o poder de ajudar a acabar com este sofrimento. Uma maneira de fazer a diferença é considerar a substituição de carne, laticínios, ovos ou outros produtos de origem animal por alternativas à base de plantas.

Ao aderir ao movimento Love Veg e convidar seus amigos a fazerem o mesmo, podemos criar um mundo em que mais pessoas escolham a bondade em vez da crueldade.

Clique no link abaixo e faça o download gratuito do nosso ebook de receitas veganas:

Minhas Primeiras Receitas Veganas

Fonte: Animal Equality

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.