Juiz condena mulher que maltratava seu cão em Honduras

Juiz condena mulher que maltratava seu cão em Honduras
A mulher que maltratava seu cão foi sancionada economicamente e ela perdeu a posse do animal.

A justiça de Honduras, através de um juiz dos tribunais da cidade de Siguatepeque, departamento de Comayagua, interpôs uma sanção econômica para uma mulher pelo delito de maltrato animal.

De acordo com as informações dos membros da organização protetora dos animais Casa de Noé, o cão já estava há dois anos amarrado com uma corrente ao redor do seu pescoço.

Isto fez com que o cão se encontrasse em um estado de desnutrição severa e cheio de cicatrizes. Perante isso, os defensores dos direitos dos animais fizeram a respectiva denúncia e foi emitida a resolução por parte do juiz de sancionar a tutora do animal.

O juiz decidiu por uma sanção econômica de 9.600 lempiras, equivalente a um salário mínimo, para a proprietária do cão identificada como Hilda Canales.

Canales vinha maltratando seu cão há vários anos. Com isso, membros da organização Casa de Noé notificaram as autoridades e procederam com a remoção da guarda do cão.

“Fomos outorgados com a custódia do cão enquanto ele se reabilita, e depois será encaminhado para adoção”, explicaram.

Processo de recuperação de “Sigua”

O animal está em poder da organização protetora dos animais Casa de Noé.
O animal está em poder da organização protetora dos animais Casa de Noé.

Após ser requerida pelas autoridades municipais e policiais, a tutora do cãozinho o entregou. Cabe destacar que a mascote está com muitos problemas de saúde.

“Esperamos que isto possa ser uma medida de pressão para que os cidadãos parem de maltratar aos animais. E que este caso sirva de exemplo para todas as municipalidades; que muitas vezes se abstém de apoiar para verificar denúncias deste tipo”, manifestaram as autoridades.

É por isso que os membros da Cada de Noé querem que seja cumprida a Lei de Proteção e Bem-estar Animal no país.

Por fim, foi comunicado que depois que o animal esteja totalmente recuperado, ele estará disponível para adoção. Os resgatistas solicitaram ajuda aos cidadãos de bom coração.

“Precisamos de muito apoio, especialmente com alimento para cães. Sigua, como o apadrinhamos, precisará de uma alimentação com muita carga de proteínas e carboidratos para conseguir sua ótima recuperação”, disseram.

Por Alexis Torres / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Tiempo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.