Juiz rejeita acusações de crime contra estudante da Universidade de Berkeley que resgatou quatro galinhas de um abatedouro

Juiz rejeita acusações de crime contra estudante da Universidade de Berkeley que resgatou quatro galinhas de um abatedouro

Um juiz do Condado de Sonoma retirou várias acusações de crime contra a estudante da Universidade da Califórnia em Berkeley, Zoe Rosenberg, de 21 anos, que está sendo processada por resgatar quatro galinhas de um abatedouro do Condado de Sonoma.

No início deste ano, os promotores retiraram um dos cinco crimes iniciais da Sra. Rosenberg. Posteriormente, em uma audiência preliminar no início deste mês, os promotores concordaram que não havia provas suficientes para sustentar a acusação de crime.

A juíza Lynnette Brown rejeitou esse crime e dois dos outros quatro crimes restantes. A Sra. Rosenberg agora enfrenta um crime e três contravenções, e até cinco anos de prisão. Ela foi presa em novembro, quando estava a caminho de entregar provas de crueldade contra animais, documentadas em várias fazendas da região, ao escritório do xerife do condado de Sonoma.

Juiz rejeita acusações de crime contra estudante da Universidade de Berkeley que resgatou quatro galinhas de um abatedouro

“O número cada vez menor e a gravidade dessas acusações ressaltam o que realmente está acontecendo nesse caso: os promotores acusaram a Sra. Rosenberg em excesso para desviar a atenção de sua recusa obstinada em aplicar as leis de crueldade contra os animais nas fazendas industriais do condado de Sonoma”, disse Chris Carraway, advogado da Sra. Rosenberg e advogado da equipe do Animal Activist Legal Defense Project. “Os promotores estão mais concentrados em silenciar aqueles que expõem a crueldade contra os animais do que em impedir a crueldade em si.”

“No julgamento, serei totalmente transparente sobre o que fiz e o que as autoridades deixaram de fazer para ajudar os animais que são vítimas de abuso”, disse Zoe Rosenberg. “Espero que um júri concorde que levar um animal doente para receber cuidados médicos não é um crime.”

A Petaluma Poultry é uma subsidiária “free range” e parcialmente “orgânica” da Perdue Farms, um dos quatro maiores produtores de aves dos Estados Unidos. Ela fornece para as principais cadeias de supermercados, incluindo Costco, Trader Joe’s e, historicamente, Whole Foods, embora a Whole Foods não seja mais transparente sobre se ainda usa a Petaluma Poultry como fornecedora.

Durante anos, a Sra. Rosenberg e outros ativistas da Direct Action Everywhere (DxE) denunciaram às autoridades a crueldade ilegal contra animais na Petaluma Poultry e em outras fazendas do condado – como, de fato, a Sra. Rosenberg estava fazendo quando foi presa.

Embora as autoridades tenham processado agressivamente os ativistas dos direitos dos animais, elas não tomaram nenhuma medida para lidar com a extensa documentação de crueldade contra os animais. Em resposta, os ativistas começaram a resgatar animais doentes e feridos, reabilitando-os para que recuperassem a saúde e encontrando lares permanentes em santuários.

Desde 2018, os investigadores da DxE documentaram violações rotineiras das leis de crueldade contra animais da Califórnia em várias granjas da Petaluma Poultry no norte da Califórnia e no abatedouro da empresa, incluindo aves caídas no chão ou presas nas costas e incapazes de andar para comer ou beber, deixadas para morrer de fome lentamente; aves com pernas deslocadas; aves com feridas abertas; e doenças infecciosas que ameaçam a saúde pública.

A DxE afirma que as descobertas horríveis demonstram violações claras da Seção 597 do Código Penal da Califórnia. Em particular, as aves que estão inconscientes e incapazes de andar não podem acessar comida ou água, e é um crime privar os animais de “sustento, bebida ou abrigo necessários”.

Três veterinários que analisaram as descobertas da DxE em 2023 na granja da Petaluma Poultry em Hunter Lane, em Santa Rosa, e no abatedouro em Petaluma, concluíram que há evidências substanciais de crueldade animal criminosa, incluindo aves doentes deixadas para passar fome, desidratar e, por fim, morrer; taxas de mortalidade acima do dobro do padrão do setor; violações de vários padrões de biossegurança; e aves escaldadas vivas no abatedouro.

No final deste ano, os residentes do condado de Sonoma votarão em uma proposta de proibição de fazendas industriais, também conhecidas como Operações de Alimentação Animal Concentrada (CAFOs), no condado. A Sra. Rosenberg comparecerá ao tribunal em 23 de maio de 2024 para ser julgada pelas acusações restantes.

A Sra. Rosenberg é a fundadora do Happy Hen Animal Sanctuary, que ela fundou aos 11 anos de idade. Desde 2014, a Happy Hen salvou quase 1.000 animais de fazendas industriais, matadouros, ringues de briga de galos e outras situações abusivas.

Você pode apoiar a Coalition to End Factory Farming no condado de Sonoma, AQUI!

Por Karen Lapizco / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: World Animal News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.