Jumento resgatado de abate vira 'unicórnio' em santuário de São Roque (SP) — Foto: Arquivo Pessoal/Santuário Abraço Animal

Jumento resgatado de abate vira ‘unicórnio’ em santuário no interior de SP

O “disfarce” pode até enganar, mas o olhar deixa claro o sentimento de alívio em encontrar um lar cheio de carinho. O jumento, batizado de Tatanca, foi resgatado há 1 ano por um santuário de São Roque (SP) e, desde então, cativa a todos que o visitam.

Karina Somaggio é a dona do local e contou ao G1 que o animal estava cotado para um leilão de abate em São Sebastião. Segundo ela, Tatanca estava em um depósito de animais da cidade.

“Quando soubemos da situação, entramos em contato com a prefeitura e fizemos um acordo. Agora, nós temos a tutela dele”, explica.

Jumento resgatado de abate vira ‘unicórnio’ em santuário de São Roque (SP) — Foto: Arquivo Pessoal/Santuário Abraço Animal

Como estava debilitado, o jumento precisou passar por um período de quarentena logo que chegou ao Santuário Abraço Animal.

Quase um ano após o resgate, Tatanca virou o mascote do local, que conta com outros 20 animais, entre cavalos, touros e caprinos. Em um vídeo enviado ao G1, Tatanca aparece rolando na areia do Santuário. (Veja abaixo).

“Ele adora tirar selfies e dar beijos. É o nosso xodó e todo mundo se encanta com ele, porque é muito bonzinho. Neste tempo que esteve conosco, conseguiu se recuperar totalmente e hoje é muito saudável”, conta Karina.

Vídeo: Jumento resgatado de abate vira ‘unicórnio’ em santuário de São Roque.

O santuário

O Santuário Abraço Animal atua há três anos com o resgate de animais de grande porte em São Roque e região. A equipe é composta por Karina e outras quatro mulheres.

“Elas me ajudam muito com a divulgação e também com a arrecadação de fundos. Nós gastamos, em média, R$ 10 mil por mês e, por isso, organizamos bazares, rifas, eventos, hot dog beneficentes, etc, para arrecadar doações”, conta.

Tatanca com o filho de Karina, Kalel — Foto: Arquivo Pessoal/Santuário Abraço Animal

Todos os animais resgatados recebem acompanhamento veterinário. Alguns deles chegam a ser colocados para adoção, já outros passam a viver no santuário.

“As adoções são para pessoas que nunca mais irão ‘usar’ os animais, mesmo os mais novos e fortes. Eles saíram de situações terríveis, viram o pior do ser humano, então merecem ser tratados com respeito”, reforça. 

Outros animais, como cavalos e caprinos, também vivem no santuário — Foto: Arquivo Pessoal/Santuário Abraço Animal

Por Júlia Martins

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.