Justiça da Itália anula ordem de governador para matar ursa

Justiça da Itália anula ordem de governador para matar ursa

A Justiça Administrativa da Itália revogou uma ordem do governador da província autônoma de Trento, Maurizio Fugatti (Liga), para abater uma ursa que atacara duas pessoas em uma trilha de montanha no fim de junho.

O Tribunal Administrativo Regional de Trento acolheu parcialmente um recurso apresentado por ONGs animalistas, como a WWF e a Liga contra a Vivissecção (LAV). Segundo a sentença, antes de abater a ursa JJ4, as autoridades competentes devem tentar outras medidas, como a captura e reclusão do animal.

“Ao menos por enquanto, a JJ4 está salva, mas em breve haverá outras audiências. Faremos todo o possível para que isso dure para sempre”, disse a LAV na última sexta-feira (10). O episódio que motivou a ordem de abatimento ocorreu em 22 de junho, quando a ursa atacou um homem de 59 anos, Fabio Misseroni, e seu filho de 28, Christian Misseroni, enquanto eles faziam uma trilha no Monte Peller.

Ambos sobreviveram, e o próprio Christian disse recentemente que não desejava o abatimento do animal. O governador Fugatti afirmou, também na última sexta, que vai acatar a decisão, mas cobrou de Roma uma indicação sobre para onde transportar animais “perigosos”.

“Os números [de ursos] que temos são superiores ao que podemos administrar. Não queremos esperar o próximo trentino agredido”, declarou. Trento abriga hoje entre 82 e 93 exemplares de ursos, sem contar os que ainda não foram rastreados. (ANSA)

Fonte: Isto É

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.