Justiça decreta prisão de homem que matou cadela a facadas no litoral do Piauí

Justiça decreta prisão de homem que matou cadela a facadas no litoral do Piauí
FOTO: BLOG DO COVEIRO

A Justiça decretou a prisão preventiva de Artur Nascimento Lima, vulgo “Gugu”, 36 de anos, em audiência de custódia realizada na manhã deste domingo (07/04). Ele foi preso pelo 24º Batalhão Atalaia após matar uma cachorra a facadas na noite de sexta-feira (05/04) no bairro Nossa Senhora da Conceição, na cidade de Luís Correia, litoral do Piauí.

Os militares realizavam suas rondas quando foram abordados pelo tutor da cadela que se chamava Hiena. Este relatou os fatos aos policiais, que prontamente localizaram o suspeito e o conduziram à Central de Flagrantes em Parnaíba, onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante (APF) baseado na Lei Sansão, que pune com mais rigor crimes contra o Meio Ambiente, no que diz respeito aos maus-tratos a cães e gatos, especialmente quando resultam na morte do animal, um delito inafiançável.

O tutor da cadela relatou em seu depoimento que teve um desentendimento com o acusado no passado, mas que já haviam resolvido suas divergências. No momento do incidente, ambos estavam em companhia de alguns conhecidos, comendo e bebendo e oferecendo os restos de comida para a cachorra. Ele enfatizou que a cadela era dócil e, ao se aproximar de um pedaço de peixe jogado no chão, Artur pegou a faca usada para cortar o peixe e atacou a cadela, que fugiu sangrando e desfaleceu em seguida.

Durante a audiência, os juristas observaram que o acusado estava em liberdade provisória por um homicídio cometido em 2008, cujas circunstâncias se assemelham às do atual crime. Argumentaram que a manutenção da liberdade do acusado, diante das circunstâncias apresentadas, prejudicaria a credibilidade da justiça e poderia gerar um sentimento de impunidade. Após a audiência, Artur foi encaminhado para a Penitenciária Mista de Parnaíba, onde se encontra recluso.

Homicídio

Segundo a denúncia do Ministério Público, Artur Nascimento Lima, vulgo “Gugu”, se encontrava em liberdade provisória, aguardando a data em que será submetido ao crivo do Tribunal Popular do Júri pelo homicídio qualificado em que teve como vítima Francisco das Chagas Santana Pereira, alcunha “Biô”, assassinado com múltiplas facadas.

Consta dos autos, em resumo, que na madrugada do dia 06 de julho de 2008, por volta das 03h:30min, o réu e a vítima estavam tranquilamente ingerindo bebida alcoólica, quando se desentenderam, a qual o acusado não permitiu que Biô bebesse de sua cachaça, desencadeando uma luta corporal, ocasião em que Gugu pegou a faca que era utilizada para cortar limão (tira-gosto) e esfaqueou diversas vezes a vítima que faleceu antes de receber os primeiros socorros.

Fonte: Ronda 180

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.