Justiça ouve testemunhas contra juiz do TRE acusado de promover rinhas de galo em MT

Justiça ouve testemunhas contra juiz do TRE acusado de promover rinhas de galo em MT

Por Katiana Pereira 

MT cuiaba rinha juiz 04663d31d61d

Acontece no próximo dia 6 de agosto, às 13h45, a audiência de oitiva das testemunhas da acusação interposta pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o juiz-membro do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Samuel Dalia Júnior, acusado de promover brigas de galo, popularmente conhecidas como rinhas. As oitivas serão na 5ª Vara da Justiça Federal do Estado de Mato Grosso.

Segundo a denúncia, em setembro de 2010, Dalia estava presente quando a Polícia Federal (PF), em batida realizada em uma das propriedades da Sociedade Avícola Nova Geração de Cuiabá (SANG), encontrou 169 galos, alguns já mortos e outros bastante feridos.

O processo tramita na Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que a relatora, ministra Laurita Vaz, ter declinado competência em junho de 2012. O MPF interpôs recurso, que foi acatado em outubro de 2013.

Em um trecho de decisão proferida pela ministra, é relatado que o ao subscrever a denúncia, o subprocurador-geral da República Dr. Eitel Santiago de Brito Pereira, asseverou que o “o denunciado organizou o torneio e consentiu que os participantes do evento colocassem nos galos contendores artefatos de grande poder de destruição – verdadeiras armas, representadas pelas biqueiras e esporas metálicas. Dessa maneira, como o organizador do evento, ele agiu com a intenção de potencializar as lesões que normalmente já decorreriam de um embate entre as aves.”

De acordo com os autos, o juiz-membro seria sócio fundador e diretor jurídico da sociedade e, no momento da diligência policial, alegou que uma decisão judicial transitada em julgado autorizava esse tipo de atividade.

A audiência deve acontecer duas semanas depois do advogado deixar a Corte da Justiça Eleitoral do Estado, já que o biênio do juiz-membro Samuel Dalia termina no dia 23 de julho próximo.

A redação telefonou para a defesa do juiz, mas não conseguiu contato.

Fonte: Isso é Notícia

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.