Laudo aponta que capivaras e urubus encontrados mortos às margens de represa não foram envenenados

Laudo aponta que capivaras e urubus encontrados mortos às margens de represa não foram envenenados
Urubus apareceram na região da represa após mortes de capivaras. (Foto: Arquivo pessoal)

O setor de Zoonoses de Ibiúna divulgou na tarde desta segunda-feira (26) o resultado de exames feitos no material coletado nas capivaras encontradas mortas às margens da represa de Itupararanga, na região de Piedade (SP), em outubro de 2017.

Na época, moradores acharam pelo menos 16 animais sem vida. De acordo com a veterinária da zoonoses de Ibiúna, Gislaine Martins, as capivaras foram localizadas em uma área de plantação perto de uma lavoura e havia a suspeita de envenenamento, já que os animais causam prejuízos ao se alimentarem da lavoura. A hipótese não foi confirmada.

“O laudo toxicológico não encontrou indícios de envenenamento nem de agrotóxico. As causas da morte ainda são desconhecidas”, diz.

Um laboratório da Universidade de São Paulo (USP) analisou o material. Os corpos em decomposição dentro de fora d’água atraíram dezenas de urubus, que também morreram em seguida.

Na época, a suspeita é que as aves tenham morrido após comer a carne dos roedores. Os animais mortos foram retirados do local pelo Setor de Zoonoses.

Capivaras foram encontradas mortas em Piedade por moradores. (Foto: Reprodução/TV TEM)
Capivaras foram encontradas mortas em Piedade por moradores. (Foto: Reprodução/TV TEM)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.