Lei 6602/13 não tem nada de abolicionista

Lei 6602/13 não tem nada de abolicionista

Por Dr. phil. Sônia T. Felipe  

Para todas as amigas e amigos que acompanharam esses vinte dias de infâmias que sofri por ter lido o texto da Lei 6602/13 e desnudado o rei e as rainhas que festejavam a aprovação de uma lei que traiu o texto original abolicionista, aqui está uma matéria de hoje, direta do Senado.

Quem leu meus textos escritos entre os dias 6 e 18 p.p., sabe bem que logo no início desmascarei a farsa de que essa lei era abolicionista.

Recebi desde ofensas misóginas enviadas inbox, até ameaças de “visitas” à minha residência, de “pagar gota por gota de sangue” (ameaça de morte ?) de cada animal que com minha crítica seria morto em testes (?) algo insano, porque os animais que serão mortos em testes aqui agora serão todos os que não serão mortos na União Europeia…, até ameaça de desmoralização “com carro de som” na minha rua.

Fui discriminada por “morar nos cafundós de Santa Catarina” e assim por diante. A fúria voltou-se contra mim, na tentativa de me intimidar para que eu não insistisse em desnudar o rei.

As pessoas pensam que as Senadoras e os Senadores desse país são analfabetos, como pensavam que eu também o fosse.

Em quase todas as agressões me faziam saber que eu não tinha direito de opinar (“vamos ouvir quem entende de fato do assunto” ou frases como essa, todo o tempo, nas linhas de chamada de quase todas as postagens), por não ser cientista, como se um médico que apenas estuda um câncer e sua terapêutica não tivesse o direito de opinar por não sofrer de câncer.

Ora, se eu fosse cientista, dificilmente teria uma posição abolicionista. Conheço um cientista abolicionista, aliás, introduzi seu conceito fundamental no Brasil, o conceito de especismo. Esse é Sir Richard D. Ryder. Conheço pessoalmente outro cientista biomédico que aboliu seus experimentos em animais por razões éticas, o Dr. Carlos Zanetti, aliás, convidado que foi para a Audiência Pública na Câmara Federal justamente para se posicionar contrariamente aos testes cosméticos em animais. Deve haver outros, mas não os conheço.

Agora, para as pessoas que tentaram confundir toda gente nessas três semanas, inclusive gente que se apresentou como operadora do direito, dizendo que o espírito abolicionista estava naquele texto, aí está o que o Senado pensa da Lei 6602.

Não pensem que estou feliz que essa lei seja bem-estarista com salpicos dos 3R’s. Sou a primeira a lamentar que o texto original abolicionista tenha sido traído e substituído com a anuência “dos interessados, do Governo e do proponente”, conforme o deixa bem claro o Dep. Weverton Rocha, relator do projeto na noite de 4 de junho.

Vamos votar nos animais usados para testes cosméticos nas próximas eleições, ou em pessoas que os traem assim, na cara dura, trocando um texto por outro sem que ninguém tenha recebido qualquer aviso pelas redes sociais?

Vejam: Senado vai analisar restrição ao uso de animais em testes de cosméticos


{article 105}{text}{/article}

Olhar Animal – www.olharanimal.org


 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.