Leões doentes e desnutridos em parque no Sudão geram indignação. Um já morreu

Leões doentes e desnutridos em parque no Sudão geram indignação. Um já morreu

Uma campanha online foi criada para tentar salvar cinco leões africanos “doentes e desnutridos”, no jardim zoológico Al-Qureshi de Cartum, capital do Sudão. Um dos animais morreu esta segunda-feira.

Uma leoa recebeu fluidos intravenosos durante vários dias, mas morreu ao início desta segunda-feira, disse à agência de notícias France-Presse (AFP) Essamelddine Hajjar, gerente do parque Al-Qureshi.

“Uma das duas leoas doentes morreu hoje [segunda-feira]. Ontem [domingo], o médico deu às duas alguns remédios, depois receberam comida”, contou Hajjar. “Uma recuperou, mas a outra morreu. Agora estamos a diagnosticar a causa da morte”. As autoridades do parque afirmaram à AFP que as condições dos cinco animais pioraram nas últimas semanas, com alguns a perder quase dois terços do peso corporal.

Os leões são mantidos em jaulas naquele parque, situado num bairro nobre da capital sudanesa, e estão há semanas a sofrer com a escassez de alimentos e medicamentos.

Indignadas com as condições em que os animais vivem, muitas pessoas exigiram que fossem transferidos para outro parque e começaram um movimento na Internet. “Fiquei abalado quando vi esses leões no parque… com os ossos a sair da pele”, escreveu Osman Salih no Facebook, ao lançar uma campanha online com o slogan “#SudanAnimalRescue”. “Peço às pessoas e instituições interessadas que as ajudem”, apelou.

“Compramos a comida com o nosso próprio dinheiro”

“A comida nem sempre está disponível; muitas vezes compramos com o nosso próprio dinheiro para alimentá-los”, disse Essamelddine Hajjar. O parque é administrado pelo município de Cartum, mas também é financiado em parte por doadores privados.

O Sudão está no meio de uma grave crise económica, motivada sobretudo pelo aumento dos preços dos alimentos e pela escassez de moeda estrangeira. No domingo, uma multidão de cidadãos, voluntários e jornalistas foram até ao parque para ver os leões depois de as fotos dos animais desnutridos se terem tornado virais nas redes sociais.

Um dos cinco leões estava amarrado com uma corda e era alimentado com líquidos através de um conta-gotas para recuperar da desidratação, relatou um correspondente da AFP que visitou o parque. Pedaços de carne podre cobertos de moscas estavam espalhados perto das jaulas. O estado geral do parque também estava a afetar a saúde dos animais, disse um funcionário do parque.

“Eles [leões] estão a sofrer de doenças graves. Estão doentes e parecem estar desnutridos”, disse Moataz Mahmoud, um dos responsáveis ​​pelo parque. Não se sabe ao certo quantos leões existem no Sudão, mas vários estão no parque de Dinder, ao longo da fronteira com a Etiópia.

Os leões africanos são classificados como espécies “vulneráveis” pela União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). A população diminuiu 43% entre 1993 e 2014, com apenas cerca de 20 mil animais vivos atualmente.

Fonte: JN / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.