Leões-marinhos decapitados estão a dar à costa no Canadá (e ninguém sabe o porquê)

Leões-marinhos decapitados estão a dar à costa no Canadá (e ninguém sabe o porquê)
Foto: Pixabay

Os corpos decapitados de pelo menos cinco leões-marinhos encontrados nas costas de Vancouver, no Canadá, nos últimos meses sugerem que pode haver um serial killer de mamíferos marinhos à solta.

LiveScience relata que pelo menos cinco leões marinhos decapitados deram à costa no Canadá nos últimos cinco meses. Em declarações à CTV News, Anne Hall, zoológa de mamíferos marinhos da Sea View Marine Sciences, empresa que usa acústica para monitorizar o movimento de animais marinhos, disse que os humanos são provavelmente os culpados.

“Para mim, parece intencional, seja por uma única pessoa ou por um grupo de pessoas”, disse a especialista. “Espero sinceramente que a Fisheries and Oceans Canada persiga esse caso para determinar quem está a fazer isto e levá-los à justiça, porque isto é uma violação da lei federal”.

As imagens indicam que as vítimas são leões-marinhos de Steller (Eumetopias jubatus). Estes animais, que vivem ao longo de partes da costa do Pacífico da América do Norte, Japão e Rússia, estão “quase ameaçados”, de acordo com a União Internacional para Conservação da Natureza.

Deborah Short, residente de Nanaimo, uma cidade na ilha de Vancouver, contou que notou um leão-marinho sem cabeça enquanto passeava o seu cão pela praia em abril e decidiu tirar algumas fotografias.

“No começo, pensei que fosse um tronco e, quando me aproximei, percebi que era um leão-marinho”, disse Short, em declarações à Vice. “Imediatamente caminhei nessa direção, apenas para descobrir que a cabeça tinha sido cortada. Fiquei enojada”.

Em junho, Short encontrou outro leão-marinho sem cabeça, próximo ao corpo de uma foca, de acordo com a Canadian Broadcasting Corporation (CBC). Outras pessoas que encontraram leões marinhos decapitados na área enviaram fotografias a Short. Em alguns casos, parece que o crânio limpo da criatura foi deixado ao lado do corpo.

Durante a sua pesquisa sobre leões-marinhos, Short aprendeu que vários grupos indígenas estavam a propor colher ou abater leões-marinhos, porque, à medida que a população de leões-marinhos crescia, o número de alguns salmões e outros peixes protegidos e ameaçados diminuiram. No entanto, não há indicação de que os leões-marinhos decapitados estejam relacionados com essa proposta.

O Departamento de Pesca e Oceanos do Canadá disse que estava a investigar o assunto. “De tempos em tempos, os indivíduos podem mexer com os animais encalhados”, disse um porta-voz. “Se for determinado que isso foi feito num esforço para sabotar intencionalmente as evidências, seria uma ofensa ao abrigo do Código Penal do Canadá”.

No Canadá, os leões-marinhos são protegidos pela Lei das Pescas e pela Lei das Espécies em Risco. Os leões-marinhos também são protegidos nos Estados Unidos pela Lei Federal de Proteção de Mamíferos Marinhos de 1972.

Anne Hall espera que as autoridades do Governo ordenem uma necropsia – autópsia animal – para saber mais sobre os leões-marinhos falecidos. “É absolutamente horrível e assustador que alguém neste litoral sinta que este é um curso de ação apropriado em relação a um mamífero marinho ou qualquer animal”, disse.

Não é a primeira vez que pinípedes decaputados dão à costa. Quatro leões-marinhos sem cabeça foram encontrados na ilha de Vancouver em 2013 e pelo menos 12 carcaças de focas foram encontradas nas margens do rio St. Lawrence, em Quebec, em 2014. Porém, ainda não se sabe o porquê.

Fonte: Zap / mantida a grafia lusitana original 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.