Lobo-guará é encontrado morto após atropelamento em rodovia de Iacanga, SP

Lobo-guará é encontrado morto após atropelamento em rodovia de Iacanga, SP

Telespectador da TV TEM localizou lobo-guará após atropelamento. ‘Sistema Urubu’ ajuda na prevenção de acidentes com animais em rodovias.

Um lobo-guará foi encontrado morto nesta quarta-feira (31) depois de ser atropelado no quilômetro 376 da Rodovia Cezário José de Castilho, em Iacanga (SP).

A fêmea da espécie ameaçada de extinção foi encontrada por um telespectador que seguia na estrada sentido Bauru e enviou imagens para a redação da TV TEM.

SP Iacanga lobo guara encontrado morto atropelado2Outro caso

No último domingo (28), uma onça parda também foi encontrada morta na Rodovia Mário Gentil, em Borborema (SP). O animal apresentava ferimentos na cabeça, que puderam ser vistos por meio de um vídeo enviado à TV TEM.

Policiais militares e rodoviários não tinham informações sobre a ocorrência envolvendo o atropelamento do animal macho de grande porte.

Tecnologia a favor dos animais

Um estudo divulgado pelo Centro Brasileiro de Ecologia revelou que, em média, 15 animais silvestres são atropelados por segundo no Brasil – a maioria, nas rodovias do interior de São Paulo. E para proteger os motoristas e os bichos, os pesquisadores desenvolveram o ‘Sistema Urubu’. Um aplicativo para celular que mostra os trechos onde a travessia dos animais é mais comum. Em Bauru (SP), já é possível contar com ajuda desse monitoramento.

SP Iacanga lobo guara encontrado morto atropelado3O aplicativo é também uma das ferramentas para auxiliar o motorista e reduzir essas estatísticas de acidentes. Ele pode ser baixado de graça e que promete prevenir os motoristas e proteger os animais. Com ajuda do celular, os motoristas vão se transformar em fiscais das rodovias.

Por meio do aplicativo, é possível enviar fotos e a localização de acidentes envolvendo animais silvestres. Todas as informações vão para um banco de dados que mostra os locais onde a travessia dos bichos é mais comum.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.