Lobo-marinho foi solto na Ilha do Cardoso (SP) após quase 20 dias de tratamento — Foto: Reprodução/IPeC

Lobo-marinho reabilitado ‘corre’ para voltar ao mar em praia de SP; vídeo

Um lobo-marinho que foi encontrado debilitado em uma praia de Ilha Comprida, no litoral de São Paulo, e levado ao Instituto de Pesquisas Cananéia para reabilitação, foi solto pelas equipes de veterinários e biólogos após 20 dias de tratamento. O vídeo da soltura foi divulgado na sexta-feira (21).

VÍDEO: Lobo-marinho encontrado debilitado em praia é solto após tratamento no litoral de SP

De acordo com o Instituto de Pesquisas Cananéia (IPeC), o lobo-marinho, da espécie Arctocephalus tropicalis, chegou ao centro de reabilitação no início de setembro. A espécie é comum no extremo Sul da América do Sul e costuma nadar em águas até uma profundidade de 100 metros.

Ainda de acordo com os especialistas, os animais são encontrados no litoral brasileiro e, muitas vezes, estão na praia para descansar.

Lobo-marinho foi levado em uma gaiola para soltura na Ilha do Cardoso, SP — Foto: Reprodução/IPeC
Lobo-marinho foi levado em uma gaiola para soltura na Ilha do Cardoso, SP — Foto: Reprodução/IPeC

A equipe do Instituto foi acionada por moradores de Ilha Comprida que encontraram o animal na areia. O lobo apresentava uma inflamação ocular e foi rapidamente levado para recuperação.

Após cerca de 20 dias de tratamento com os veterinários e biólogos, o animal já se alimentava sozinho e os exames indicaram que ele estava pronto para retornar à natureza. Na terça-feira (18), finalmente chegou a hora do lobo-marinho voltar para o mar. O animal foi levado em uma gaiola até a Ilha do Cardoso, onde foi solto pela equipe.

IPeC

O resgate e a reabilitação de animais marinhos são atividades realizadas pela equipe do IPeC dentro do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), que é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. O IPeC tem um número de acionamento para resgate de animais marinhos e em caso de animais encontrados vivos ou mortos nas praias, o banhista pode entrar em contato pelo 0800-6423341.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.