Lolla foge, é encontrada baleada, recebe ajuda e retorna para casa

Lolla foge, é encontrada baleada, recebe ajuda e retorna para casa
Lolla e o tutor Vinícius Silvério após o reencontro: “Ela fugiu” (Foto: Vinícius Silvério/Divulgação)

Uma rede de solidariedade venceu a crueldade, nessa segunda-feira (5), em Bauru. Lolla, uma cadela de quase 2 anos, voltou para casa após ser socorrida por desconhecidos, que se compadeceram ao vê-la ferida. Sem raça definida, ela foi atingida por um disparo de arma de fogo na pata esquerda.

Ainda assim, corria pela rua quando foi observada, no início da madrugada de segunda, pelo motociclista Lucas Cordeiro, que voltava para casa após o término de seu expediente como entregador.

Lolla, uma cadela de quase 2 anos, recebeu tiro na pata (Foto: Reprodução)
Lolla, uma cadela de quase 2 anos, recebeu tiro na pata (Foto: Reprodução)

“Ela estava desesperada, com a ‘pata solta’. Fui seguindo e consegui acalmá-la”, conta. Quando ele parou a moto na quadra 10 da rua Galvão de Castro, na região do Jardim Marambá, ela se aproximou da perna dele.

“Era como se me pedisse ajuda. Liguei para vários veterinários”, comenta.

Sem recursos para custear o tratamento, ele se lembrou da protetora independente de animais Soraya Gasparini, que foi acionada. Ela, por sua vez, fez contato com o veterinário e policial Militar Gabriel Lima, que foi ao local.

DESFECHO FELIZ

Pouco tempo depois, Lolla já era submetida à cirurgia, que demorou duas horas. “Pelo tamanho do ferimento, deve ter sido um projétil calibre 38. Ela deve perder algum movimento [atingiu ligamentos e músculos], mas vai ficar bem”, comenta o veterinário.

Apenas neste ano, trata-se do segundo caso de animal atingido por arma de fogo com que ele se depara na cidade. Na ocorrência anterior, um gato foi alvo de espingarda de pressão.

Enquanto ele socorria Lolla, Soraya postou a história em uma rede social. Antes de sair para trabalhar, a postagem foi lida pelo estudante Vinícius Silvério, que logo reconheceu sua companheira, conhecida por ser alegre, brincalhona, carinhosa e até ciumenta. “Ela é minha parceirona. Estávamos todos em casa conversando no quintal, quando meu pai se descuidou e deixou o portão aberto. Ela fugiu. Fomos atrás dela”, recorda.

De acordo com Silvério, a cadela saiu da casa da família, que próxima ao local onde foi encontrada, por volta das 22h de domingo. Em menos de três horas, Lolla foi ferida. Já o reencontro aconteceu por volta das 11h30. Ainda sonolenta por conta da cirurgia, Lolla abanou o rabo e chorou ao vê-lo. Além dele, também não seguraram as lágrimas sua mãe e namorada.

“Agradeci muito o pessoal. Fiquei muito feliz por saber que ainda existem pessoas boas neste mundo”.

Fonte: JCNET

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.