Lua vivia com um toxicodependente e sofria maus tratos. Foi salva em Matosinhos

Lua vivia com um toxicodependente e sofria maus tratos. Foi salva em Matosinhos
Tem cerca de quatro anos

Lua tomou esta terça-feira, 27 de fevereiro, o seu primeiro banho. A cadela de quatro anos foi acolhida na segunda-feira, 26, pela ComRaça —Equipa de Resgate Animal após uma luta que parecia não ter fim e que terá envolvido a Polícia de Segurança Pública (PSP), o Ministério Público no Canil Municipal do Porto, dezenas de voluntários da causa animal e o antigo detentor, um suposto toxicodependente em condição de sem-abrigo.

“Foi um processo penoso, um desgaste emocional que apenas quem esteve dentro da situação conseguirá entender, foram muitas lágrimas para haver um final feliz”, avança a ComRaça. À PiT, Ana Pinto da Costa, fundadora do grupo de resgate, partilha que o caso era “muito conhecido” em Matosinhos e o então tutor já tinha sido alvo de várias denúncias.

Durante um ano, a patuda foi vista por milhares de pessoas na rotunda dos Produtos Estrela, em Matosinhos, no Porto, e também no metro, sempre acompanhada. “Muitos tentaram o seu resgate, mas sem sucesso”, lamenta. “Tivemos dezenas de denúncias onde ela era vista a ser pontapeada, arrastada atrás de uma bicicleta e com uma corda amarrada ao focinho”.

Durante mais de um mês, a ComRaça andou à procura da dupla, mas não teve sorte, visto que não tinha uma habitação física. Quando finalmente a avistou, os voluntários entraram em contacto com a PSP e “demoraram horas” até chegarem numa conclusão. Mais tarde no mesmo dia, Lua acabou apreendida e foi enviada ao ministério público no Canil Municipal do Porto, onde ficou durante o mês de fevereiro.

Esta semana foi conhecida a decisão do ministério de entregar a patuda à ComRaça, onde ganhou uma “nova oportunidade de vida”. Apesar dos maus tratos, é uma cadela calma e meiga. Ainda assim, tem as cicatrizes de um passado traumático. — “Tem uma marca no focinho, da corda que ele usava e onde nunca mais vais crescer pelo”.

Está agora num hotel e a associação precisa de ajuda com as despesas

Depois de receber o primeiro banho esta terça-feira, Lua, que foi agora batizada de Clio em homenagem a uma das nove musas gregas considerada a “protetora e ditadora da história”, foi encaminhada para um hotel de cães onde ficará até encontrar uma família. A patuda já está disponível para adoção e espera que os dias traumáticos sejam deixados para trás.

“Infelizmente, algumas marcas e traumas não vão desaparecer, mas sabemos que o melhor da vida da Clio ainda está para vir”, garante a ComRaça, que está a precisar de ajuda para pagar as despesas da cadela. “Obrigada a quem nunca desistiu, a quem confiou em nós, a quem denunciou e compreendeu o quão penosa era toda esta situação, obrigada à veterinária municipal do canil do Porto por toda a atenção e preocupação perante a situação e a todos os intervenientes desta ação”.

Para ajudar com os cuidados da patuda, pode fazê-lo através do Mbway (911722874) e IBAN (PT50019300001050275854261). A associação está disponível no Instagram e Facebook.

De seguida, carregue na galeria para ver algumas fotografias de Lua, agora Clio.

Por Izabelli Pincelli

Fonte: Pit / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.