Macaco criado em cativeiro é solto em parque ambiental no Pará

Macaco criado em cativeiro é solto em parque ambiental no Pará

Animal viveu por quatro anos dentro de residência, em Dom Eliseu. Entrega voluntária do macaco isenta a pessoa de crime ambiental.

Um macaco-prego fêmea, que viveu por quatro anos como um animal doméstico, foi solto no Parque Zoobotânico de Marabá, no sudeste do Pará. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a mulher que mantinha o animal preso o entregou na sede da PRF no município de Dom Eliseu, na mesma região. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (20).

Antônia Irete Pereira contou que criava o animal silvestre há aproximadamente quatro anos, após o tê-lo encontrado ainda filhote junto da mãe, que estava morta. Ela disse que queria entregá-lo antes aos órgãos ambientais, mas foi alertada por amigos e familiares que se entregasse o animal seria presa.

Mas, a tutora do macaco não viu alternativa e não ser entregar o animal, pois mudaria de residência e sabia que não poderia transportá-lo em Rodovia Federal sem autorização de órgão ambiental. De acordo com a PRF, como a entrega do macaco foi espontânea, ela fica livre de qualquer autuação.

Retorno à natureza

Após o resgate do macaco, os agentes da PRF entraram em contato com parques ambientais em municípios próximos. A Fundação Zoobotânica de Marabá, localizada a aproximadamente 230 quilômetros, aceitou receber o animal.
O macaco-prego fêmea foi recebido pela equipe de tratadores da Fundação e foi colocada em um recinto de adaptação próximo a outros macacos da mesma espécie.

Devido à destruição de seu habitat natural, assim como ao tráfico desse animal, o macaco-prego é considerado um animal ameaçado de extinção. Os macacos pregos são vendidos geralmente para a criação em cativeiro, principalmente por aprender com facilidade.

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.