Macau ‘exporta’ cães e gatos em voos charter para Portugal

Com o fim da corrida de galgos em Macau, ONG deve acolher mais 700 cães além dos já abrigados.

A Sociedade Protetora dos Animais de Macau comprou um terreno no Alentejo e quer enviar, em voos charter, cães e gatos para as novas instalações em Portugal.

Segundo o Jornal Tribuna de Macau, a Anima, como é conhecida a Sociedade Protetora local, debate-se com falta de espaço. O processo de aquisição de um terreno no Alentejo está praticamente concluído e «os mais de 400 cães e gatos que estão hoje à guarda da Anima poderão vir a conhecer uma nova morada em breve».

Ouvido pelo jornal, Albano Martins, presidente da Sociedade Protetora dos Animais, diz que o processo de aquisição de um terreno com cerca de 30 hectares está praticamente finalizado e o financiamento para transferir os animais, em voos charter, pode ser assegurado em breve.

«A ideia é que se possa criar também uma delegação da Anima nessa zona do Alentejo, criando postos de trabalho em Portugal e assegurando que os animais vão ser bem tratados».

Com o aproximar do fim da concessão das corridas de galgos em Macau, que termina em dezembro de 2015, a associação quer também preparar-se para a possibilidade de acolher os mais de 700 cães que ainda são utilizados nas corridas.

Fonte: TSP (Portugal) / mantida a grafia original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.