Animal foi flagrado por monitores entre Cananeia e Ilha do Cardoso (SP) — Foto: Reprodução

Mãe de golfinho protege filhote morto e ação intriga especialistas; vídeo

Um filhote de golfinho morto foi carregado por sua suposta mãe e o momento foi registrado por um grupo de pessoas que passava pelo local. O caso aconteceu na última quarta-feira (12), entre Cananeia e a Ilha do Cardoso, no litoral de São Paulo. No vídeo obtido pelo G1 nesta sexta-feira (14), é possível ver o momento que o golfinho adulto afunda o corpo do filhote que boiava no local.

VÍDEO: Golfinho adulto afunda corpo de filhote morto como proteção, em Cananeia (SP)

A monitora do Parque Estadual da Ilha do Cardoso, Camila Costa, de 38 anos, conta que, nos dezessete anos de monitoria pelo local, foi a primeira vez que viu algo parecido. “Chegamos perto para tentar resgatar o corpo e levar para algum instituto, mas no momento que estávamos do lado, o golfinho adulto apareceu”, relata.

No momento, ela e os companheiros de trabalho se surpreenderam e imaginaram que o animal era mãe do filhote morto. “Ficamos impressionados pelo ato de pegar o filhote que parecia morto. Por isso, registrei e decidi colocar nas redes sociais para outros colegas verem”, explica. Depois da postagem, muitas pessoas compartilharam e se emocionaram com a atitude maternal do golfinho.

De acordo com a pesquisadora do projeto Boto-Cinza, do Instituto de Pesquisas de Cananeia, Daniela Ferro de Godoy, de 39 anos, o comportamento do animal é chamado de epimelético, um comportamento de quando um animal cuida de outro que está ferido, doente, e em alguns casos, morto. Isso pode ser considerado uma forma de luto do animal.

Golfinho leva filhote para o fundo do mar para ‘protegê-lo’ de embarcações, diz especialista. — Foto: Reprodução

“O animal que leva o filhote para o fundo da água é, muito provavelmente, a mãe. Quando os filhotes estão vivos, elas cuidam, ensinam e afastam do perigo, que é o que acontece no vídeo. Isso é o instinto de proteção e o cuidado parental”, esclarece a pesquisadora.

Ao analisar os vídeos, ela ainda explica que o ato de afundar o corpo do filhote é com o instinto de afastar de embarcações que passem pela região, buscando evitar que o animal encalhe em barcos.

A atitude, que teve grande repercussão nas redes sociais, faz parte do instinto da espécie e foi elogiada por muitas pessoas em comentários de páginas da web. Este comportamento epimelético pode durar minutos, horas e até dias, de acordo com a pesquisadora Daniela.

Animal foi flagrado por monitores entre Cananeia e Ilha do Cardoso (SP) — Foto: Reprodução

Por Leticia Gomes, G1 Santos

Fonte: G1

Orca comove o mundo ao carregar filhote morto por dias

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.