Mãe tenta resgatar filhote de macaco que morreu atropelado em Santa Cruz do Sul, RS

Mãe tenta resgatar filhote de macaco que morreu atropelado em Santa Cruz do Sul, RS
Cena que chamou a atenção e entristeceu moradores ocorreu ao meio-dia dessa sexta-feira (Foto: Divulgação)

Uma cena triste chamou a atenção do consultor Paulo Knabach por volta do meio-dia dessa sexta-feira. Enquanto um filhote de macaco atropelado agonizava até a morte, a mãe se arriscava no meio da Rua Vereador Benno João Kist tentando ajudá-lo. O leitor da Gazeta do Sul registrou o momento e relatou que se tornou comum motoristas dirigindo em alta velocidade pela via. “Fico me perguntando: e se fosse uma criança?”, questiona. Knabach mora no local há nove anos e, pelas suas contas, esse foi o sexto atropelamento de animais em menos de dois anos.

Para evitar que a mãe do macaco morto tivesse o mesmo destino, ele removeu os dois do local. Segundo o santa-cruzense, é comum a travessia de animais silvestres pela rua e os moradores tentam cuidar e ajudar, para que haja uma convivência harmoniosa. “Só quem viu de perto o desespero da mãe do macaquinho sente”, lamentou. Para Knabach, o problema se resume a excesso de velocidade dos motoristas e falta de um passa-fauna para os animais. “Colocaram uma placa de velocidade por aqui, mas falta mesmo é um redutor de velocidade.”

A Secretaria Municipal de Comunicação informou que está prevista ainda para o primeiro semestre a instalação de passadores de fauna na Rua Vereador Benno João Kist, assim como em outros pontos da cidade. O projeto de proteção era uma parceria com a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) e está em vias de ser retomado. Quanto ao redutor de velocidade, a Secretaria de Transportes e Serviços Urbanos vai verificar a viabilidade da instalação.

Por Heloísa Corrêa

Fonte: GAZ

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.