Maior empresa de laticínios dos EUA encerra duas dúzias de contratos porque ninguém quer leite de vaca!

Maior empresa de laticínios dos EUA encerra duas dúzias de contratos porque ninguém quer leite de vaca!
Imagem: Couleur/Pixabay

A indústria de laticínios está de saída! No verão de 2017, a Dean Foods, a maior empresa de laticínios dos Estados Unidos, fechou mais uma das suas fábricas de processamento de leite, a PET Dairy, porque as vendas eram estavam ruins. Poucos meses depois, ela informou que seu lucro líquido caiu 91%.

Agora, a Dean Foods está terminando contratos com vários produtores de leite. Pelo menos duas dúzias de produtores que enviam leite para a Dean Foods na Pensilvânia, Indiana, Kentucky, Tennesee, Carolina do Norte e Ohio terão agora até 31 de maio de 2018 para encontrar um novo lugar para vender seu leite. Esta é uma jogada semelhante à que a Grassland Dairy fez há cerca de um ano, quando disseram aos produtores de Wisconsin que eles tinham 30 dias para encontrar uma nova maneira de vender seu leite.

E este é apenas o começo. A Dean Foods disse que esta poderia ser apenas a primeira onda de contratos que eles estão cortando em 2018. Qual é a razão deles para acabar com esses contratos? “Isso é devido a um excedente de leite cru em um momento em que o público já está consumindo menos leite, e empresas que entraram ou expandiram sua presença no negócio de processamento de leite exacerbaram uma situação já tênue em um mercado altamente competitivo”, disse Reace Smith, diretor de comunicação corporativa da Dean Foods.

Em outras palavras, a Dean Foods está entendendo o que sabemos: ninguém quer mais leite de vaca. O mercado de leite à base de vegetais atingiu US $ 16,3 bilhões em 2018, e nem mesmo o rótulo “orgânico” está ajudando a vender leite devido ao aumento de alternativas baseadas em vegetais. Há até mesmo uma empresa, a Perfect Day, trabalhando para produzir leite… sem vacas! A realidade é que as pessoas estão reconhecendo que as alternativas baseadas em vegetais têm o mesmo valor nutricional (se não melhor) e vem sem preocupações com a saúde, o meio ambiente e o bem-estar animal. Como Adam Lowry, CEO da Ripple Foods, disse: “Uma vaca é uma maneira realmente ineficiente de produzir leite”. E temos que concordar.

Se os produtores de leite estão à procura de uma forma mais sustentável de se manterem no mercado, podemos sugerir que seja à base de vegetais? Devido ao declínio do leite de vaca, alguns produtores da Califórnia converteram suas terras em plantações de amêndoas e uma unidade de produção de laticínios de 92 anos que foi forçada a fechar devido ao declínio nas vendas reabriu há pouco tempo como uma empresa de leite à base de vegetais!

Quer saber mais sobre como o espaço do leite à base de vegetais está batendo o do leite de vaca? Confira este episódio recente do #EatForThePlanet com Nil Zacharias, apresentando Adam Lowry, CEO da Ripple Milk:

Por Michelle Neff / Tradução de Ana Carolina Figueiredo 

Fonte: One Green Planet 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.