Mais 2 cavalos morrem em pista de corrida na Califórnia; já são 37 desde 2020

Mais 2 cavalos morrem em pista de corrida na Califórnia; já são 37 desde 2020

Indignação em East Bay mais uma vez depois que mais dois cavalos morreram no início do mês no hipódromo Golden Gate Fields, nos EUA.

Isso eleva o número total de mortes desde o ano passado para 37 só naquela pista de corrida.

Ativistas chamam a pista de corrida de uma mancha em East Bay, e alegam que estamos nas sombras dos anos 60, quando a área era conhecida pelo ativismo e agora, ao invés disso, parece complacente diante da suposta crueldade animal em curso.

Protesto pelos direitos dos animais fechou o local de vacinação de Golden Gate Fields

O California Horse Racing Board informa que mais dois cavalos morreram no início do mês em Golden Gate Fields, e citou um acidente em 1º de abril, no caso de um cavalo chamado Jor Jah, e uma morte sem causa específica 3 de abril, de um cavalo chamado Velocemente, cuja queda foi transmitida ao vivo durante uma transmissão da corrida que nós não mostraremos aqui.

Isso eleva o total de nove mortes este ano e 37 desde 2020.

Membros preocupados da comunidade pedem novamente o fechamento definitivo da pista de corrida.

Samatha Faye, da rede internacional de ativistas Direct Action Everywhere, cresceu cercada por cavalos e tem treinado alguns deles que, em suas palavras, foram resgatados das corridas.

Ela, junto com dezenas de outros ativistas, instou o conselho de membros da cidade de Albany em uma reunião no último dia 5 à noite para usar todo poder que o grupo tiver para colocar um fim naquilo que chamam de um esporte ultrapassado, cruel e que leva aos maus-tratos dos cavalos e alimenta o vício em jogos de azar em sua cidade.

Os membros do conselho também foram chamados, inclusive um dos quatro ativistas que recentemente protestou no meio do gramado, para se manifestarem publicamente contra a pista de corrida e um processo movido contra eles.

Outros palestrantes disseram que gostariam de ver o local da orla atender a outras necessidades como habitação.

Apesar de alguns membros do conselho expressarem compaixão e escrutínio sobre as mortes, eles aparentemente se sentiram de mãos atadas.

A vereadora de Albany, Rochelle Nason, disse à emissora de TV KRON4:

“Como muitos em nossa comunidade, vejo as corridas de cavalos em sua forma atual como excessivamente perigosas para os cavalos envolvidos, e estou profundamente perturbada com as quedas traumáticas e mortes prematuras sofridas por muitos deles. No entanto, acredito que a lei da Califórnia coloca a responsabilidade de regular essa atividade sobre o Estado, e não sobre o governo local.  Encorajo aqueles que se opõem à presença de Golden Gate Fields em Berkeley e Albany a levar suas preocupações aos nossos representantes legislativos da Califórnia”.

O vereador Aaron Tiedemann disse: “Estou muito triste ao saber que houve mais mortes de cavalos na pista e grato que ativistas como Samantha estão mantendo isso em nosso radar, pois, devido ao poder extremamente limitado que Albany tem para interferir nas operações em Golden Gate Fields, é tudo muito fácil para eventos como esse acontecerem sem nossa atenção. Estou esperançoso de que veremos ação do estado em Golden Gate Fields em breve, pois acho que nossa comunidade está pronta para ver nossa costa usada para algo mais construtivo do que corridas de cavalos”.

Representantes de Golden Gate Fields não responderam à emissora.

Enquanto isso, ativistas apontam para a corrida de cães e rinha de galos como sendo proibidos em todo o país, e agora eles esperam o mesmo acontecer com corridas de cavalos e dizem que o conselho de Albany pode liderar o caminho para o resto do Estado e da Nação.

Por Ella Sogomonian / Tradução de Fatima C G Maciel 

Fonte: Kron4


Nota do Olhar Animal: Há uma necessária e efetiva ação de combate aos maus-tratos contra cavalos explorados em carroças e charretes, que tem como algozes pessoas com pouco ou nenhum poder político e que comumente vivem em condições paupérrimas que a exploração dos animais torna crônica, já que os rendimentos obtidos com com o uso de animais não são suficientes para manter uma família, tão pouco para dar aos animais com os cuidados necessários (veterinário, medicação, alimentação etc.), que acabam sendo negligenciados. Às vezes, uma voz se levanta contra o uso de cavalos usados para a fabricação de medicamentos ou contra o abate desses animais para a produção de carne. Mas, no Brasil, RARAMENTE se aborda a questão dos animais vitimados pelo TURFE, que tem como tutores dos cavalos pessoas poderosas econômica e politicamente.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.