Animal encontrado na Madalena está sob cuidados do Cetas Tangará. Foto: CPRH/Divulgação

Mais de 100 jacarés já foram levados ao Centro de Triagem neste ano, em Recife

O Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Tangara) está cuidando do jacaré da espécie papo-amarelo que foi encontrado na segunda-feira, no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife, em meio às fortes chuvas que atingiram a capital pernambucana. Mais de 100 jacarés já foram levados neste ano ao Centro, que é uma unidade especializada da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH).

O animal encontrado na Madalena saiu por um bueiro e assustou os moradores da Rua Antônio Cardoso Dias, onde foi capturado pela Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma). De acordo com o coordenador do Cetas, Yuri Valença, o jacaré chegou bastante assustado e com ferimentos leves. “Está sendo tratado e , quando estiver em boa condição de saúde, nós o devolveremos à natureza”, comentou Valença.

Segundo a Fiocruz, os jacarés de papo-amarelo são animais de hábitos noturnos que, durante o dia, formam grupos para tomar sol. Chegam a medir três metros e se alimentam de peixes, aves e mamíferos. Seu período de reprodução é entre janeiro e março, quando põem entre 30 e 60 ovos por ninhada. Podem viver até 50 anos.

A Fundação destaca que os jacarés são ecologicamente importantes, pois fazem o controle biológico de outras espécies. Além disso, suas fezes servem de alimento a peixes e outros seres vivos aquáticos. Hoje, os papo-amarelo fazem parte da lista de animais em extinção do Ibama, sobrtudo por causa da destruição de seu habitat e da poluição dos rios. (Com informações da Fiocruz)

Fonte: Diário de Pernambuco

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.