RS CaxiasDoSul pombas mortas H

Mais de 100 pombas são encontradas mortas em Caxias do Sul, RS

Secretaria do Meio Ambiente de Caxias do Sul suspeita de envenenamento. De acordo com a prefeitura, é a quarta vez que isso acontece na cidade.

RS CaxiasDoSul pombas mortas

Em dois dias, mais de 100 pombas mortas foram recolhidas pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) de Caxias do Sul, na Serra gaúcha. De acordo com a titular da pasta, Letícia Dias Lima, nesta quinta-feira (14) ao menos 50 aves foram encontradas na praça Dante Alighieri e arredores, na região central da cidade.

“Ontem (quarta-feira, 13), por volta das 6h, foram encontradas 70 pombas e hoje mais 50. Mas estamos recebendo notícias da população, que a todo momento encontra as pombas caídas no entorno da praça por isso ainda estamos contabilizando”, disse Letícia.

De acordo com ela, foi encontrada ração no chão da praça, o que sugere que os animais tenham sido envenenados, caracterizando crime ambiental. Entretanto, a investigação sobre as mortes ainda não determinou a causa da morte das aves.

RS CaxiasDoSul pombas mortas2

“É a quarta vez que isso acontece desde 2013. Embora a investigação conduzida pela Polícia Civil ainda esteja sendo realizada, tudo indica que elas tenham morrido por envenenamento porque no entorno sempre são encontrados muitos resíduos de ração, que pode ter sido a causa da morte”, afirma Letícia.

Ela diz que a prefeitura realiza o remanejo das pombas, que são levadas para um galpão da secretaria para depois serem soltas em seu habitat natural. Entretanto, ela diz que esse trabalho deve ser feito de forma lenta para evitar que as pombas se reproduzam de forma mais acelerada.

“Não podemos fazer esse remanejo de uma vez só porque elas reagem de forma instintiva se reproduzindo muito mais. O trabalho tem que ser feito de uma forma muito sutil, para que elas não percebam”, relata. “Se a intenção foi matar, isso só contribuiu para o aumento”, completa a secretária.

RS CaxiasDoSul pombas mortas3

Outro ponto que favorece a proliferação das aves em ambiente urbano é alimentação oferecida pela população. “Foi instituída uma lei proibindo a alimentação dos pombos, mas tem pessoas que não cumprem. Já foram aplicadas multas, e um processo da Procuradoria-Geral do Município deve entrar com uma ação, para quem sabe se, por meio de uma ação, a medida se torna mais eficaz”, afirma.

A secretária afirma que a expectativa de vida das pombas é de 20 anos, mas quando são alimentadas pela população, cai para apenas dois anos, sem contar com os riscos de contaminação da população por meio das fezes dos animais que vivem em ambiente urbano.

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.