Mais de 120 aves em situação de maus-tratos são apreendidas em sítio no sul da Bahia

Mais de 120 aves em situação de maus-tratos são apreendidas em sítio no sul da Bahia
Foram encontradas 124 aves em situação de maus-tratos, no sul da Bahia — Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Mais de cem aves foram apreendidas em um sítio no distrito de Arraial d’Ajuda, em Porto Seguro, no sul da Bahia. Segundo a polícia, os animais foram encontrados na quarta-feira (25), em situação de maus-tratos.

VÍDEO: Mais de 120 aves são apreendidas em sítio na zona rural de Porto Seguro

Mais de cem aves foram apreendidas em um sítio no distrito de Arraial d’Ajuda, em Porto Seguro, no sul da Bahia. Segundo a polícia, os animais foram encontrados na quarta-feira (25), em situação de maus-tratos.

A apreensão foi feita durante uma operação da Polícia Ambiental e da Secretaria do Meio Ambiente de Porto Seguro. Foram encontrados 41 galos, 22 galinhas e 61 filhotes de aves.

“Verificamos 124 animais submetidos a maus tratos, alguns em condições em que foram aplicados medicamentos, substâncias para que alteram as condições físicas e outros com dificuldade em locomoção”, relata o Comandante da Polícia Ambiental, Major Márcio Blanco.

Também foram apreendidos materiais que comprovam que os bichos eram maltratados, como tesouras, serras, esporas artificiais, biqueiras, medicamentos e seringas usadas para dopar ou deixá-los agitados.

“Eles adaptam pequenos equipamentos, como a espora de metal, que chegam a cegar os animais nos combates, ferir a carne e levar a óbito”, detalha o Major.

Várias gaiolas e uma espécie de “ringue”, onde aconteciam as “batalhas” entre as aves foram encontrados no local. Foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), contudo, as pessoas responsáveis pelo imóvel não foram localizadas. Promover rinhas de aves e maus-tratos a animais são crimes ambientais, com penas que variam entre três meses até dois anos.

Os animais foram levados para a sede da Polícia Ambiental em Porto Seguro e estão à disposição do Ministério Público da Bahia (MP-BA). As que estão aptas para consumo serão doadas para instituições. As que não podem ser consumidas terão o destino definido pelo MP-BA.

Os filhotes debilitados foram encaminhados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) e para o Centro de Zoonoses, para receberem cuidados veterinários.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.