Mais de 2.400 cães capturados ou entregues ao CCZ de Santarém (PA) foram sacrificados no ano passado

Mais de 2.400 cães capturados ou entregues ao CCZ de Santarém (PA) foram sacrificados no ano passado

Por Sílvia Vieira

PA Santarem sacrificados 1

No decorrer do ano de 2015, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Santarém (PA), sacrificou 2.403 cães entre os 3.066 capturados pela carrocinha e entregues pelos tutores ao canil do órgão sanitário, revelado com exclusividade pelo Portal O EstadoNet. No mesmo período, apenas 186 cães foram adotados. Os demais foram resgatados por seus tutores.

Segundo informações do CCZ, bichos saudáveis não são sacrificados. A indicação de eutanásia é para animais agressivos, com doenças epidemiológicas não tratáveis, como leishmaniose e raiva, e doentes em estado terminal.

Dois testes para leishmaniose são feitos antes de os animais serem sacrificados com uma injeção letal. Tendo animais com indicação para eutanásia, o procedimento é feito em dias certos da semana, quando há recolhimento pela empresa contratada pela prefeitura para serviços de limpeza e manutenção.

O CCZ assegura que não há maus-tratos e nem sofrimento. O animal recebe um sedativo, um anestésico geral, e depois uma medicação que paralisa o coração. Só depois que está com a anestesia bem aprofundada que é feita essa medicação.

Além de cães, o CCZ também sacrifica cães, cavalos e outros animais capturados nas ruas, ou entregues pelos donos, desde que haja indicação de eutanásia por meio de laudo assinado por médico veterinário.

A eutanásia de animais apreendidos pelo CCZ é amparada pela Lei Municipal Nº 16.301/98, de 28 de dezembro de 1998, que dispõe sobre o controle e proteção de populações animais, bem como sobre a prevenção de zoonoses no município de Santarém.

Organizações Não Governamentais que se dedicam a cuidar de animais em Santarém, tem sido parcerias do CCZ levando para as suas propriedades, animais que são capturados nas ruas pelo órgão, ou que são entregues porque apresentam alguma doença curável ou deficiência. 

Fonte: O EstadoNet 

Nota do Olhar Animal: Vários problemas nos critérios do CCZ. Por exemplo, o de dizer que leishmaniose não é tratável, o de exterminar animais agressivos (quais são os critérios para considerá-los “irrecuperáveies e, mesmo estes, porque não há uma local apropriado paraque sejam mantidos?). Ou seja, a opção abjeta pelo extermínio continua sendo tomada tranquilamente por este e por outros CCZs, que buscam travestir a matança de ato misericordioso ao chamá-lo de “eutanásia”, o que está longe de ser verdade.

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.