Mais de 270 animais silvestres foram resgatados em 2014 pela polícia do Amapá

Mais de 270 animais silvestres foram resgatados em 2014 pela polícia do Amapá

Cobras, corujas e iguanas foram encontradas em áreas urbanas. Um caso de maus-tratos a animal doméstico foi registrado pelo Batalhão.

Por Fabiana Figueiredo

AP animais silvestresap

De 1º de janeiro a 29 de dezembro de 2014, o Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Amapá resgatou 276 animais silvestres nas áreas urbana e rural de Macapá e Santana, a 17 quilômetros da capital. Cobras, corujas e iguanas foram os animais mais encontrados em áreas residenciais. Um caso de maus-tratos a animal doméstico também foi registrado pelo órgão. Organizações Não Governamentais (ONGs) ajudaram no resgate e tratamento de animais que depois foram colocados para adoção.

Segundo o sargento Rodrigo Monte Verde, do Batalhão Ambiental, a maioria dos animais foi encontrada na área urbana dos dois municípios.

AP dsc0313“Identificamos que a maioria dos atendimentos é feita em áreas residenciais. Também atendemos em áreas de ponte [periferia]. Encontramos muitas cobras soltas, corujas que tocaram na fiação elétrica, caíram e machucaram as asas, e até iguanas que aparecem nas casas, principalmente no período seco quando saem da área de cerrado e vão para a área urbana”, disse Monte Verde.

Os animais capturados pelo Batalhão são entregues para a família dona do bicho ou para instituições ambientais. Monte Verde diz que ainda há dificuldades no processo de resgate por esses animais não terem onde ficar.

“Registramos um caso de um animal doméstico vítima de maus-tratos do próprio dono. Apresentamos o proprietário na delegacia e o animal foi entregue para a carrocinha de Macapá. Mas se o caso fosse em Santana não teríamos onde entregar esse animal”, comentou.

O Batalhão Ambiental é acionado pelo Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes), através do número 190, que funciona 24 horas.

ONGs

Em Macapá, algumas ONGs também fizeram o resgate de animais domésticos abandonados ou vítimas de maus-tratos.

AP dsc1305De acordo com a presidente dos Anjos Protetores, Laudenice Monteiro, foram resgatados, tratados e colocados para adoção cerca de 560 cachorros e 320 gatos, no período de 1º de fevereiro a 29 de dezembro. Ela lembrou que no abrigo da ONG atualmente vivem 64 gatos.

O vice-presidente da Associação Amigos dos Animais de Rua (AMAR), Alerrandro Barros, disse que ele e os voluntários da instituição conseguiram ajudar a 72 cachorros e 35 gatos, de janeiro a dezembro de 2014.

O presidente da Força Animal, Homero Alencar, informou que centenas de animais foram resgatados das ruas. Em 2014, foram cerca de 400 animais. Segundo Alencar, esse número pode ser ainda maior porque as pessoas continuam abandonando os animais.

Os voluntários das ONGs afirmam que as redes sociais são as grandes aliadas para achar um lar para os animais abandonados e resgatados pelos grupos.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.