Mais de 40 papagaios e outros animais silvestres são soltos em Exu, PE

Mais de 40 papagaios e outros animais silvestres são soltos em Exu, PE

Os animais passaram 40 dias de reabilitação e serão soltos nesta terça (15). Bichos são fruto do comércio ilegal e viviam em cativeiro.

Cerca de 40 papagaios e mais de 20 outros animais silvestres serão soltos nesta terça-feira (15) em uma área do Sítio Mangueiras, na Zona Rural de Exu, Sertão pernambucano. Os animais foram apreendidos pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e são resultados do comércio ilegal. Eles vão ganhar a liberdade após passarem 40 dias de reabilitação em um criadouro local.

Além dos papagaios, serão soltos cinco galos de campina, três patativas, duas cascavéis, três jandaias maracanã, quatro jandaias vaqueira, uma craúna, dois bigodes, quatro jabutis e três pássaros trinca-ferro.

A soltura acontece através do projeto ‘Papagaios da Caatinga’ que atua há mais de um ano na região. De acordo com o biólogo e coordenador do projeto, Yuri Valença, o período de adaptação é feito para que os papagaios e demais espécies reconheçam o local e não fujam da área. “A gente precisa alimentar esses animais por um período, porque senão eles fogem e acabam morrendo. Com esse método, o índice de mortalidade melhorou variando de 10 a 12%”, relata.

PE exu papagaio 1O biólogo revela ainda que após a soltura é iniciada uma etapa de monitoramento. “Vamos observar se os animais estão conseguindo se defender e encontrar alimento. Caso algum não consiga se adaptar e se ferir ou quebrar um membro, eles vão ser retornados e reabilitados novamente”, explica.

Em um ano de projeto, o balanço das ações é bastante positivo. “Os animais estão bem adaptados, formando casais e ninhos. Percebemos que estão desenvolvendo comportamento de fuga, já seguem para área distante e voltam, ou seja, estão desenvolvendo o processo natural da biologia da espécie”, garante.
O projeto envolve a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), o Ministério Público de Pernambuco (MPT), o Ibama, a Polícia Militar e a Prefeitura de Exu.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.