Mais de 500 gaiolas são destruídas pela Polícia Militar Ambiental no sul do ES

Mais de 500 gaiolas são destruídas pela Polícia Militar Ambiental no sul do ES

A Polícia Militar Ambiental que atua na região do Caparaó, realizou na manhã desta sexta-feira (05), a destruição de 540 gaiolas além de vários tipos de armadilhas para captura de pássaros silvestres. A ação aconteceu em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente em frente à sede na cidade de Guaçuí.

Todo o material destruído estava armazenado em um depósito na sede do 2º Pelotão, em consequência da apreensão de 636 pássaros silvestres da fauna brasileira ocorridas no período de um ano, com destaque para a apreensão de 321 coleiros, 128 trinca-ferros, 20 catataus e 08 papagaios da espécie Chauá, sendo que as duas últimas espécies estão em risco de extinção. Toda ação foi filmada e fotografada, sendo que todo o material produzido será utilizado para o trabalho de educação ambiental nas escolas.

Importante frisar que todos os animais apreendidos, passam por um longo e trabalhoso período de readaptação para que possam retornar à natureza. Lembrando que nos últimos três anos, em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Guaçuí, o Centro de Reintrodução de Animais Selvagens (Cereias), Iema e Ibama, foram devolvidos à natureza na região do Caparaó, mais de 500 animais silvestres.

Além das apreensões, os policiais registraram também neste mesmo período, o recolhimento por solicitação da população, 31 mamíferos, 18 serpentes, 02 lagartos e 02 jabotis. Também foi registrado a apreensão de 15 armas de fogo, 106 munições, 53 armadilhas, 237m de rede de pesca e 37m3 de madeira nativa.

Segundo o tenente Ailton Nunes, comandante da Polícia Ambiental na região do Caparaó, “as ações estão voltadas com foco para os crimes ambientais, mas durante as diligências seus policiais estão orientados e atentos a outros tipos de crimes, e que, a expressividade na apreensão dessas armas e munições, pode contribuir de maneira objetiva para diminuição de outros tipos de delitos. Esses dados são como uma prestação de contas de nossas principais ações nos últimos 12 meses”, informou.

O resíduo da destruição das gaiolas e armadilhas teve a destinação ambientalmente correta, sendo que as armadilhas e gaiolas de arame seguiram para reciclagem. A ação contou com o apoio da Secretaria Municipal de Obras de Guaçuí.

Por Rafaela Thompson 

Fonte: Aqui Notícias.com

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.