Filhote foi encontrado em região de lavoura em Jaciara (MT) — Foto: Divulgação

Mais de mil animais silvestres foram resgatados em 2019 em Mato Grosso

Mais de mil animais silvestres foram resgatados entre os dias 1º de janeiro a 26 de dezembro de 2019 em Mato Grosso.

Os dados são do Batalhão de Proteção Ambiental.

De acordo com o batalhão, desse total, 344 já foram devolvidos ao meio ambiente. Durante o ano, a unidade confeccionou 1,8 mil boletins de ocorrência, 963 autos de inspeção, 509 autos de infração, 478 termos de apreensão, 63 de notificações e 106 de embargos e interdições.

Da intensificação do policiamento ambiental, patrulhamento terrestre e barreiras policiais, foram abordados e orientados 51.807 cidadãos, revistados 20.904 veículos e 1.635 embarcações.

Desse trabalho resultou a apreensão de 129 veículos automotores empregados na prática de crimes e ou infrações ambientais e de 76 armas de fogo e 1.116 munições intactas, destinadas à captura e abate de animais silvestres.

O patrulhamento fluvial, com o objetivo de combater a pesca predatória e proteger a fauna mato-grossense, conseguiu apreender 447 materiais de pesca que estavam sendo empregados em situação irregular, 19 embarcações, 3 motores de popa.

Filhote foi encaminhado para o Hospital Veterinário da UFMT — Foto: Divulgação
Filhote foi encaminhado para o Hospital Veterinário da UFMT — Foto: Divulgação

Foram ainda apreendidos 108 espinheis, 208 redes, 90 tarrafas empregados para pesca predatória, além de 18 toneladas de pescado irregular e mais 341 peças de peixes, fruto de pesca predatória que resultaram em crimes e ou infrações ambientais.

O Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental atua desde o ano de 1983 em Mato Grosso, nas atividades de policiamento e fiscalização ambiental, na proteção da fauna, flora, recursos hídricos e florestais, das águas e mananciais, na repressão da poluição, caça e pesca ilegal, queimadas e desmatamento não autorizados.

O efetivo é distribuído nas unidades de Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Rondonópolis e Barra do Bugres, municípios que abrangem diversidades de rios, áreas do Pantanal mato-grossense e áreas de fronteira propensa ao tráfico de animais silvestres.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.