Foto: Luiz Guido

Mais um animal cai em fossa: dessa vez o caso aconteceu em Anastácio, MS

Donos de animais de grande porte têm feito vista grossa quanto a permitir que perambulem pela cidade. Na manhã desta quarta-feira (19) mais um caso de omissão de cautela aconteceu, dessa vez, na Rua João Cancio Alves, Vila Flor, em Anastácio. Um tourinho caiu na fossa em construção de uma casa à 1 hora da madrugada. Os moradores acionaram o Corpo de Bombeiros às 7 horas para resgatar o animal.

Ao se deparar com o bovino no buraco, os Bombeiros perceberam que se tratava de uma fossa rasa e que daria para enchê-la com água a fim de resgatá-lo. A técnica usada foi para que o animal boiasse ao encher a fossa, o que facilitou a sua retirada. O tutor não apareceu no local.

A equipe de militares levou cerca de 40 minutos para retirar o tourinho da fossa. A Patrulha Montada de Anastácio levou o animal para o tutor, que deverá ser notificado.

Prática ilegal

Outro caso recente que mobilizou Polícia, Corpo de Bombeiros e Prefeitura de Aquidauana foi uma vaca que, da mesma forma, caiu em fossa no último dia 4 de setembro. Por se tratar de uma fossa profunda, o animal ficou bastante machucado, a ponto dos veterinários decidirem sacrificar o animal para que não sentisse mais dor.

Entretanto, a vaca se recuperou ao ficar exposta ao sol e reagiu bem aos medicamentos, o que afastou a possibilidade de eutanásia.

A negligência no cuidado com animais, ao permitir que fiquem soltos, colocando em risco as pessoas e o próprio bem-estar do animal, está enquadrado como omissão de cautela na guarda ou condição de animal no artigo 31 da Lei das Contravenções Penais, que prevê prisão simples de 10 dias a dois meses de detenção.

*Com informações de Luiz Guido Jr.

Fonte: O Pantaneiro

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.