Manifestantes miram em rodeio de macacos nos Estados Unidos

Manifestantes miram em rodeio de macacos nos Estados Unidos

Por John Joyce / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Não é todo dia que fãs de baseball podem ir até o estádio e ver uma equipe de macacos-prego juntarem cabras no campo, apesar de que um mau resultado do time da casa possa se assemelhar a tal espetáculo.

Mas isso é exatamente o que levou milhares de fãs do York Revolution para o People Bank Park no último dia 17, apesar das temperaturas acima de 32 graus e do sol direto.

Infelizmente para a equipe promocional do time, entretanto, o Rodeio Macacos Caubóis desse fim de semana, que foi apresentado nos intervalos e após a final de uma série de três jogos do time contra o New Britain Bees, também chamou uma enorme quantidade de manifestantes pelos direitos dos animais.

O show Team Ghost Riders da Wild Thang Productions de Tim Lepard foi realizado no estádio nas últimas três temporadas e foi agendado em eventos muito maiores, incluindo alguns jogos da Liga Nacional de Futebol. Mas os manifestantes alegam que os macacos sofrem desnecessariamente nas mãos dos promotores do show, tudo para que pessoas possam pagar um bom dinheiro para levarem seus filhos para assistirem aos animais “torturados” se apresentarem.

EUA monkeyrodeo 2

O diretor de marketing e comunicação do Revs (apelido do Time York Revolution), Doug Eppler, disse que o time estava ciente do que os manifestantes estavam planejando fazer na rua fora do estádio, mas disse que nenhuma precaução extra foi tomada antes do jogo de domingo.

“Esta não foi a primeira vez que os macacos estiveram aqui”, Eppler disse. “Essas pessoas já exerceram seus direitos de expressar suas opiniões no passado, nada elevado a nenhum tipo de confronto”.

Eppler disse que o time respeita o direito de cada pessoa de expressar seus direitos da Primeira Emenda, mas ele disse que os protestos não teriam nenhum impacto na participação das pessoas ou em eventos promocionais do time no futuro.

“Este evento tradicionalmente traz um grande número de pessoas até nós. Nós tivemos uma pré-venda de ingressos bem estável, o que, é claro, atribuímos em parte ao show de hoje”, Eppler disse.

Antes do jogo, Eppler não tinha como saber exatamente quantos fãs de baseball encheram o People Bank Park no domingo, mas a capacidade é de mais de 6.000 pessoas e, no dia anterior, 5.000 fãs foram ao local.

EUA monkeyrodeo 3

Apelo à ação

O conhecimento sobre os protestos começou a se espalhar no começo da semana anterior em uma postagem do Facebook feita pela ativista local Jane Heller, pedindo à PETA para enviar um apelo à ação para os ativistas da região se unirem e prepararem cartazes.

Heller, que fundou e é diretora da Humane Society of Southern Maryland and York (Sociedade Humanitária do Sul de Maryland e York), disse que ela vem lutando pelos direitos dos animais por mais de 30 anos.

“Você sabia que seus filhos estão indo assistir à tortura animal hoje? Você está preocupado com isso?”, Heller gritou às famílias que passavam pelos portões de entrada do estádio de baseball na 5 Brooks Robinson Way no centro de York.

Ela disse que os dentes dos macacos são arrancados e eles são acorrentados ao redor do pescoço e forçados a usar fantasias em condições meteorológicas adversas como as altas temperaturas no domingo e então forçados a juntarem animais nas costas de cães da raça border collie.

“Essas pessoas pensam que eles são tratados tão bem”, Heller disse. “É claro que eles não são bem tratados. Quem gostaria que isso fosse feito consigo mesmo? Você gostaria de ser colocado em cima de um cavalo, com uma corrente ao redor do seu pescoço, e deixar que eles te mexam por aí e quebrem seu pescoço? Isso seria bom? Provavelmente não”.

EUA monkeyrodeo 4

Pedidos por mudança

Seis voluntários do Direct Action Everywhere – DAE de Harrisburg responderam ao pedido da PETA e foram no domingo até York. O grupo cantou canções, participou em cânticos e acenou cartazes feitos à mão reprimindo o abuso animal.

“Esta é outra forma de opressão para com os animais”, Rachel Zielger disse. A mulher de 23 anos de Harrisburg faz parte do DAE por dois anos, e ela disse que o grupo protesta contra todas as formas de exploração animal. Conforme ela falava sobre sua organização, várias pessoas passando de carro ou moto gritaram obscenidades ao grupo.

Ziegler disse que ela sabe que não conseguirá mudar a mente de ninguém com um só ato de protesto, mas ela espera poder inspirar pensamentos mais profundos sobre o que os animais no show são forçados a enfrentar.

“A esperança é que eles ouçam nossa mensagem e reflitam sobre o que esses animais estão passando”, ela disse. “Basicamente nós estamos aqui para sermos as vozes dos animais. Os animais têm sim uma voz, a questão é que nós não a estamos ouvindo”.

Dentro do estádio, muitos que passaram pelos manifestantes para irem ao jogo tinham pouco a dizer sobre a mensagem contida em seus cânticos e em seus cartazes.

Mas muitos dos fãs lotando o estádio no domingo não somente tinham seus filhos com eles, mas eles também tinham seus animais de estimação em guias. Domingo também marcou o Bark in the Park (Latido no Estádio) anual do Revs, um evento especial que permite que tutores de cães levem seus amigos peludos ao estádio para um dia de diversão ao sol.

A justaposição dos manifestantes pelos direitos dos animais cantando frases contra o abuso animal às pessoas que obviamente são tutores de animais e entusiastas animais não escapou a nenhum dos dois grupos.

EUA monkeyrodeo 5

Amantes de cães e baseball

Richard e Harriet Hombach, de Mount Wolf, levaram seu labrador de cinco anos Corky para o estádio no domingo. Os Hombachs, casados por 60 anos, não são somente Clientes Prata, o que significa que eles compram um pacote de entradas de 10 jogos todo ano, mas também estão envolvidos com o Serviço de Terapia com Animais Keystone Pets.

Os cães de terapia Keystone Pets fornecem serviços para qualquer pessoa com necessidades especiais e crianças autistas em escolas, até para pessoas feridas e doentes, idosos e mulheres jovens que estão presos, dissse Harriet Hormbach.

“Eu consigo ver os dois lados disto”, ela disse sobre os manifestantes versus o show. “Eu não acho que eles estão realmente machucando seus animais. Esse pessoal está lucrando com isso. Eu não acho que eles iriam machucar os responsáveis por trazer o dinheiro”.

“Eu posso ver onde eles pensam que o show está sendo cruel com o macaco ao mantê-lo amarrado lá, ele não é capaz de sair”, ela acrescentou.

EUA monkeyrodeo 6

Uma “ficha informativa” circulada online pela Humane Society of the United States diz que as Wild Thang Production de Tim Lepard já foi citada no passado por falhar na obtenção de autorizações apropriadas, por permitir que pessoas na plateia toquem os animais, por manter os animais em condições insalubres e, pior, incluir o fornecimento de comida inapropriada para os animais e permitir que os animais vivam em condições insalubres.

Eppler disse que o Revolution nunca viu nenhuma evidência ou testemunhou qualquer ação confirmando as alegações contra Lepard.

“Nós não temos necessariamente nenhuma razão para concordar com todos os ‘fatos’ dessa ficha informativa, e o cavalheiro que produz o show o faz por anos e anos e anos e em locais maiores”, ele disse. “E em nosso conhecimento, nenhuma posição de autoridade ou agência regulatória de qualquer tipo já teve qualquer razão para denunciá-lo ou acusa-lo de qualquer coisa. Nós nunca ouvimos qualquer evidência de crueldade animal, e nós certamente não aprovaríamos algo que viesse com tal evidência”.

Tim Lepard não estava disponível para comentários.

EUA monkeyrodeo 7

Fonte: York Dispatch

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.