Máquinas 'Grab-A-Crab' censuradas por grupos de direitos dos animais em Cingapura

Máquinas ‘Grab-A-Crab’ censuradas por grupos de direitos dos animais em Cingapura

Jogos estilo fliperama “Grab-A-Crab” (capture um caranguejo), que permitem que as pessoas peguem os caranguejos antes que possam comê-los como prato, foram censurados por grupos de direitos dos animais em Cingapura.

Grupos de defesa dos direitos dos animais censuraram muitos restaurantes em Cingapura por promoverem jogos no estilo fliperama, que permitem às pessoas pegarem a refeição antes de a comerem. As máquinas de jogo muito criticadas estavam nos restaurantes House of Seafood e Jurong. Foram criticadas por causarem danos e sofrimento aos caranguejos antes de serem mortos.

Uma publicação censurou o jogo “Grab-A-Crab”

A SPCA (Society for the Prevention of Cruelty to Animals) de Cingapura, fez uma publicação no Facebook que dizia “Diga não à máquina de garra de caranguejo”.

SAY NO TO LIVE CRAB CLAW MACHINEA recent post by a local restaurant has been brought to our attention. In their claw…

Gepostet von SPCA Singapore am Dienstag, 22. Oktober 2019

Na publicação, a SPCA declarou que as ações muito criticadas de ambos os restaurantes chegaram ao seu conhecimento, e que foi informada de que esses chamados jogos tinham objetos junto com caranguejos vivos colocados nas máquinas para que os clientes os pegassem para suas refeições. A sociedade acrescentou ainda que esses jogos causavam danos a esses animais indefesos e incentivavam as pessoas a considerarem os animais nada mais que um objeto para brincarem nos tempos de hoje.

A SPCA também disse que nenhum de seus membros participou desse tipo de atividade, e informou o AVS (Serviço Animal e Veterinário) para tomar conhecimento disso e encerrá-lo completamente.

Um pedido de desculpas pelo CEO do House of Seafood

Na sequência das críticas intensas, o CEO do House of Seafood, Francis Ng, pediu desculpas. Ele começou sua nota pedindo desculpas aos ativistas dos direitos dos animais e disse nunca teve a intenção de usar caranguejos como brinquedos. O CEO declarou que viu muitas crianças no Punggol Settlement e queria educá-las sobre a vida marinha e incentivá-las a levar os caranguejos de volta ao oceano.

Francis disse que sua equipe levou um ano para projetar a máquina, a fim de garantir a segurança dos caranguejos e não prejudicá-los de forma alguma. As garras da máquina foram equipadas de forma adequada para garantir que não ferissem os caranguejos.

Francis disse que a máquina era limpa todos os dias, o que permitia aos caranguejos viver em um ambiente bom e limpo.

Ng disse que, depois das críticas que enfrentaram, o restaurante parou temporariamente com a máquina de pegar caranguejos. O CEO mais uma vez pediu desculpas pela indignação que causou e disse que o House of Seafood esperava servir seus clientes de uma maneira melhor a cada vez e agradeceu a todos por suas críticas.

Por Ruchit Rastogi / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: Republic Word

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.