Marcha em Foz do Iguaçu (PR) em defesa animal pedirá maior rigor contra maus-tratos

Marcha em Foz do Iguaçu (PR) em defesa animal pedirá maior rigor contra maus-tratos

Por Thays Petters

PR foz marcha1

Objetivo principal é pedir o aumento das penas para quem comete crueldade contra os animais. Os moradores de Foz do Iguaçu estão convidados a participar da 2ª Marcha da Defesa Animal, que acontece no dia 12 de abril (domingo) às 14 horas. A concentração será em frente à Polícia Federal, na avenida Paraná. De lá, os protetores seguem até a Praça Naipi, em frente o Shopping Cataratas JL. No local, haverá distribuição de panfletos e orientações sobre a importância da castração dos animais.

O principal objetivo, conforme explicou a idealizadora da ação em Foz, Marcele Barrocas, é pedir o aumento das penas contra maus-tratos, crueldade, abandono e outros crimes cometidos contra os animas.

A pena prevista atualmente para quem comete maus tratos é multa e prestação de serviços à comunidade. “Temos um abaixo assinado que pede pena de 8 a 10 anos de reclusão para quem cometer maus tratos aos animais”, adiantou.

Marcele afirma que mesmo sendo um tema em voga no país, muitas pessoas que presenciam maus tratos aos animais ainda não sabem como denunciar.

“A pessoa que flagrar algum tipo de maus tratos aos animais deve imediatamente, chamar a Força Verde, Vigilância Sanitária e o CCZ. Deve-se também, gravar vídeo ou tirar fotos para ter provas”.

Mesmo com a intervenção de algum órgão competente, a pessoa que presenciou o crime deverá fazer um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil. Depois será marcado um dia para o termo circunstanciado, quando será anexada todas as provas que o denunciante possui, inclusive o endereço certo do agressor e o nome. A partir daí a polícia fará seu papel junto ao Ministério Público. Os protetores também pedem a castração gratuita, hospital público veterinário, e o direito de tratar animais com leishmaniose.

A coordenadora garante que a mobilização não tem influência de partido político, pois é uma manifestação articulada pelas redes sociais.

“A marcha é apartidária e pacífica, visa reivindicar os direitos de todos os animais, não somente cão e gato, mas também de cavalos, bois, galinhas, porcos e etc. Rodeios, a utilização de carroças e feiras que expõe animais também deveriam ser proibidos em Foz do Iguaçu”, concluiu Marcele.

Camisetas da Marcha estão sendo vendidas a R$ 30 pela organizadora do evento, através da pagina do Facebook. A expectativa é que mais de 200 pessoas participem do evento.

Protetores querem 10 anos de reclusão para quem maltratar um animal

Pelas redes sociais, protetores de animais que organizam a marcha em outras cidades do país pedem o apoio da população para a assinatura do abaixo assinado. Eles pleiteiam alterações na Lei nº 9.605/98 do Código Penal, conforme segue abaixo:

1) Que a pena mínima seja de 8 anos e 1 mês de prisão, em toda a seção de crimes contra a fauna, afastando a possibilidade de transação penal, o que implicará em maior controle e diminuição de tais crimes;

2) O aumento da pena máxima no artigo 391 para 10 anos de prisão, face às recorrentes, perversas e fortuitas crueldades cometidas diariamente contra os animais, tais como: maus tratos, tortura, extermínio, rinhas;

3) Pena de 8 anos e 1 mês a 12 anos para crime de abuso sexual (zoofilia);

3.1 – Em caso de morte do animal, de 12 a 30 anos, nos moldes do artigo 213, § 1º e 2º, do Código Penal Brasileiro em vigor, posto que os animais são tão vulneráveis quanto crianças e pré-adolescentes.

4) Aumento da pena para o tráfico de animais silvestres, por colocar em risco a biodiversidade do planeta. Atualmente o tráfico de silvestres é tido como o terceiro maior negócio ilegal do mundo, superado apenas pelos tráficos de armas e de drogas;

5) Revogação à Lei do CONAMA, a qual aprova Resolução que permite a posse, pela população, de animais silvestres de origem ilegal;

6) Fim do uso de cães para guarda e segurança de estabelecimentos comerciais.

7) Fim do uso de animais em testes para medicamentos, cosméticos e qualquer tipo de experimentação com o uso de substâncias químicas, bem como qualquer atividade que provoque sofrimento ao animal.

PR foz marcha2

Fonte: A Gazeta

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.