Maryland será o próximo estado dos EUA a proibir cosméticos testados em animais

Maryland será o próximo estado dos EUA a proibir cosméticos testados em animais
Foto: Motortion Films/Shutterstock.com / Foto 2 - Instagram Humane Society

“O mundo está deixando de realizar testes de cosméticos com a aprovação de leis que proíbem ou limitam o teste com uso de animais em 40 países. Exigimos que os legisladores apresentem preliminar, imediatamente, e proíbam a crueldade para sempre.

Maryland será o quinto estado americano a proibir cosméticos testados em animais em meio à crescente demanda por produtos livres de crueldade.

Os legisladores votaram unanimemente pela aprovação da legislação SB 282/HB 611, que proibirá testes de cosméticos novos e a venda de cosméticos testados em animais, a partir de julho de 2022.

O projeto de lei será enviado ao gabinete do governador Larry Hogan, que deverá assiná-lo ou deixar que o projeto de lei seja aprovado sem assinatura.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por The Humane Society of the US (@humanesociety)

A mudança segue os passos da Virgínia, Califórnia, Nevada e Illinois.

Mais cinco estados, Nova Jersey, Rhode Island, Havaí, Nova York e Oregon, já consideram leis semelhantes.

Várias organizações, inclusive a Humane Society, dos Estados Unidos, elogiaram a decisão.

Demanda livre de crueldade

“Nos Estados Unidos, as leis refletem a opinião crescente do consumidor contra testes desnecessários em animais para produtos como xampu, rímel e batom. Durante esses testes, as substâncias são forçadas garganta abaixo, aplicadas nos olhos ou esfregadas na pele de coelhos, porquinhos-da-índia, camundongos e ratos, antes de eles serem mortos”, disse a organização.

O grupo acrescentou que muitas empresas de cosméticos que fabricam ou vendem produtos em Maryland, incluindo Lush, MOM’s Organic Market, Jill Turnbull e ReNew Botanicals Skin Care, enviaram cartas aos legisladores de Maryland para exigir a proibição de venda e produção de cosméticos testados em animais.

Os consumidores leem os rótulos e exigem produtos livres de testes em animais. As empresas de cosméticos têm ouvido os consumidores e modificado suas práticas … Os legisladores estão consolidando essas mudanças em uma política permanente”, acrescentou a Humane Society.

“Proibição da crueldade para sempre”

A Humane Society também parabenizou o senador Clarence Lam e a delegada Terri Hill, que patrocinaram as versões do projeto de lei no Senado e na Câmara Legislativa.

Em seguida, concluiu: “O mundo está deixando de realizar testes de cosméticos com a aprovação de leis que proíbem ou limitam o teste de cosméticos em animais em 40 países. Nos Estados Unidos, os estados do Havaí, Nova Jersey, Nova York e Rhode Island estão considerando proibições semelhantes. Exigimos que os legisladores desses e de outros estados ajam imediatamente e proíbam a crueldade para sempre.”

Mercado global de cosméticos veganos

De acordo com a empresa de pesquisa MarketGlass, o mercado global de cosméticos veganos ultrapassará o valor de 21 bilhões de dólares até o ano de 2027.

O relatório divulgado pela empresa estima que a indústria, atualmente avaliada no valor astronômico de 15,1 bilhões de dólares, crescerá a um CAGR (taxa de crescimento anual composta) de 5,1% nos próximos sete anos.

O relatório aponta a China, que também anunciou recentemente a eliminação de seus requisitos obrigatórios de testes em animais para produtos cosméticos importados que se enquadram na categoria “geral”, os EUA, o Japão e o Canadá como os principais países que farão com que o valor do mercado cresça. 

Por Mohsina Dodhiya / Tradução de Renata Tepedino

Fonte: Totally Vegan Buzz

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.