Mascote da vizinhança, cadela alimentada com marmita fica obesa

Mascote da vizinhança, cadela alimentada com marmita fica obesa

‘Pompom’ tem cerca de 8 anos e dobro do peso ideal – ela pesa 25,5 quilos. Cão de rua, ela foi resgatada em São José (SP) e deu início a um regime.

Uma cadela abandonada e com obesidade mórbida foi resgatada por uma fotógrafa na noite desta quinta-feira (22) em São José dos Campos, no interior de São Paulo. A vira-lata ‘Pompom’ tem aproximadamente oitos anos e mais que o dobro do peso considerado ideal – ela pesa 25,5 quilos. O peso ideal, segundo o veterinário, é de 11 quilos.

O animal, de porte pequeno, foi encontrado pela fotógrafa Roberta Evelyn enquanto ela ia entregar algumas fotos para um cliente na zona leste da cidade. No caminho, ela viu o animal e, na volta, decidiu tentar dar algum tipo de ajuda ao animal.

“Ela estava muito gorda, me chamou a atenção. Eu não tenho condições de cuidar, nem ficar com ela porque já tenho três e minha casa é pequena, mas ao vê-la naquele estado, não podia deixá-la”, recordou.

Ela perguntou para os moradores sobre o animal e uma vizinha disse que ela estava abandonada no bairro há pelo menos três anos e que estava obesa porque as pessoas sentiam dó e davam marmitas com todo tipo de comida para ela.

“Quando vi já falei com um amigo veterinário, perguntando se eu podia pagar depois pela consulta, porque eu não tinha dinheiro. Ele deixou e fez o atendimento, além da obesidade, ela tem uma queimadura na pata esquerda, provavelmente alguém jogou água quente nela”, contou.

O veterinário Washington Luiz Camargo Galvão Bueno, que fez o atendimento, afirma que o peso ideal para o animal é 11 quilos.

“Ela está bem acima do peso, por isso ela tem problemas na articulação. Falei para a Roberta procurar uma piscina para fazer exercício, já que por causa da obesidade mórbida, caminhar é difícil”, afirmou. Além do exercício, ela precisa se alimentar com ração diet.

O veterinário conta ainda que o animal precisará fazer outros exames para verificar o estado geral de saúde.

SP Saojose okokocao 2

Dica

A orientação, segundo o veterinário, é sempre alimentar os animais de rua com ração. “Atendemos poucos cachorros obesos, mas quando acontece é falha humana. Antigamente o homem queria domesticar, hoje quer humanizar os cachorros, e muitas vezes usa alimentos indevidos. A marmita é composta de arroz e feijão que são carboidratos que o animal não digere”, explicou.

Para conseguir ajuda, Roberta publicou fotos do animal nas redes sociais. Ela ganhou uma piscina infantil de plástico para começar o tratamento e precisa de ajuda. A intenção é reabilitar ‘Pompom’ até que ela consiga um lar definitivo – Roberta vai doá-la após o tratamento.

“Mesmo com a piscina, preciso de ajuda porque são necessárias três pessoas para conseguir levantá-la. Precisamos que ela melhore para não ficar doente e encontre um lar saudável e alguém que cuide bem dela porque ela é muito amorosa e dócil. Precisa ter uma segunda chance”, afirmou.

SP Saojose okokocao 3

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.