Meio Ambiente alerta para 'invasão' de animais silvestres com aumento das queimadas em Araguaína, TO

Meio Ambiente alerta para ‘invasão’ de animais silvestres com aumento das queimadas em Araguaína, TO

Além de prejuízos à saúde, as queimadas prejudicam o solo, o ar, vegetação, entre outros fatores ambientais. O que muita gente não sabe é que em alguns locais urbanos, em especial aqueles próximos de algum tipo de vegetação, é comum a presença de animais peçonhentos, como cobras, lagartos, escorpiões e outros. Com as chamas, eles buscam refúgio dentro de casas, lojas, que são locais mais próximos para se abrigarem.

Foi o caso da casa da professora Rosilda Barbosa de França, moradora do Setor Vila Bragantina. “Era noite quando estávamos sentados na área de casa e percebi a cobra se rastejando bem rápido em direção aos meus pés, o susto foi enorme porque não sabia se era venenosa ou não”, contou a moradora, acrescentando que, no dia anterior, um fogo destruiu a vegetação de uma área próximo à casa dela.

Recentemente, uma cobra foi fotografada na região da Via Lago. Moradores do Jardim dos Ipês, Morada do Sol e outros bairros da cidade também já receberam a visita de animais peçonhentos.

Cuidados

Para evitar que entrem nas residências, as pessoas devem fechar possíveis espaços que permitam a passagem dos animais. Protetores de porta são opções. Além disso, se a casa for muito próxima de áreas verdes, é importante observar bem os cômodos e não colocar a mão em locais ou objetos que não possa ver o que tem dentro.

Uma sugestão também é evitar deixar pedaços de madeira, piso e outros materiais acumulados no quintal ou em locais que possam ser acessados pelos animais.

“Nós orientamos que o morador que se deparar com animais peçonhentos dentro da residência, não mexa e deixe as crianças e os animais de estimação distantes e acione imediatamente a Polícia Militar Ambiental, pelo telefone (63) 3414 4874. Já no caso de flagrante de queimada, pode entrar em contato com a Secretaria de Meio Ambiente do Município”, informou o superintendente municipal do Meio Ambiente, Orialle Barbosa.

Crime ambiental

A Secretaria do Meio Ambiente do Município continua recebendo denúncias e fiscalizando a ocorrência de queimadas irregulares em Araguaína. Com o período de estiagem, muitas pessoas se utilizam do fogo para limpar terrenos baldios ou até para a queima do lixo, o que é crime ambiental. Segundo dados atualizados, a secretaria recebe uma média de três denúncias por dia de pessoas ateando fogo na zona urbana da cidade.

“Seguimos com o trabalho de fiscalização, destacando que a pessoa que for flagrada colocando fogo para dar fim a qualquer tipo de material pode receber multa e responder por crime ambiental”, explicou o superintendente.

Com base na Lei Municipal n° 3.100/19, e lei Federal 9605/98, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, por meio do telefone (63) 99944 7878 e 99976-7337, recebe, fiscaliza e aplica as penalidades a quem for flagrado provocando queimada.

A legislação proíbe as queimadas nas vias públicas e imóveis urbanos, públicos ou particulares, em Araguaína. A proibição se estende também à queimada em terrenos marginais de rodovias, de rios, de lagos ou de matas de quaisquer espécies.

Estão passíveis de penalidade: a queima de mato ou vegetação para fins de limpeza de terrenos a céu aberto ou de áreas livres localizadas em imóveis edificados; a queima, ao ar livre, de papel, papelão, madeiras, mobílias, galhos, folhas, lixo, entulhos e outros resíduos sólidos; a queima, ao ar livre, de pneus, borrachas, plásticos, resíduos industriais ou outros materiais combustíveis assemelhados, sólidos ou líquidos.

Por Adriana Santana 

Fonte: Surgiu

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.