Meio Ambiente do PR dá dicas sobre como levar animais ‘de estimação’ para as praias

Meio Ambiente do PR dá dicas sobre como levar animais ‘de estimação’ para as praias

PR animais praia IMG 2947

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, por meio da Rede Estadual de Direitos Animais (REDA), elaborou algumas dicas para o bem estar dos animais ‘de estimação’ que acompanham as famílias nas férias e temporada nas praias. A REDA foi criada pelo governo estadual com o objetivo principal de defender os direitos dos animais que convivem com as pessoas, principalmente no meio urbano.

A primeira dica é certificar-se de que as vacinas estão em dia e que o animal está em perfeito estado de saúde. Outra medida muito importante e que evitará aborrecimentos é providenciar uma plaquinha de identificação para o animal, contendo o telefone do responsável. Se for viajar para longas distâncias, é importante verificar também se há necessidade de licenças especiais para o transporte.

Animal de estimação também têm bagagem para ser levada nas férias. Inclua na bagagem guia e coleira, ração a que está acostumado, documentos de registro, carteira de vacina e outros documentos necessários, potes de água e comida, além de sua caminha e cobertas. Leve também alguns medicamentos para casos de emergência ou os remédios que ele possa estar tomando no momento.

PROIBIÇÃO – Antes de levar o animal de estimação para a praia verifique se há alguma proibição para evitar possíveis transtornos. No município de Matinhos – Litoral do Paraná, por exemplo, é proibida a circulação e permanência de cães na areia, por meio da lei 1008, de 2006.

Cuidados com o calor – Altas temperaturas, como as que ocorrem nos dias de verão na praia, podem representar uma ameaça para a saúde de um animal que não está acostumado a elas. Certifique-se de que animal pode ter um refúgio à sombra quando sair para passear com ele. Neste caso também é importante levar água fresca e uma tigelinha para que ele possa beber ao longo do passeio.

Na praia, é preciso cuidado especial com cães de focinho curto, pois podem superaquecer mais rapidamente do que os cães de focinho longo. Os comportamentos que podem indicar superaquecimento são: respiração muito rápida e ofegante, salivação além do normal, problemas de coordenação motora, se enrolar como se estivesse com frio e até apresentar vômitos ou diarreia sem motivo aparente.

Limpeza – Recolha sempre as fezes do animal ‘de estimação’. Além de educado, esse ato pode evitar a proliferação do bicho geográfico.

Não é permitido levar animal de estimação em áreas protegidas como, por exemplo, na Ilha do Mel. A proibição se deve ao fato de que estes locais abrigam espécies silvestres, possuem ninhos de pássaros e outras aves, além da presença de repteis.

1ª Marcha Animal – A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos também está preparando, para o dia 27 de janeiro, a 1ª Marcha Animal Ambiental do Litoral, que será em Guaratuba.

O objetivo é promover uma interação entre as pessoas e os animais, numa convivência pacífica e harmoniosa nos espaços de convivência e também alertar a importância de alguns cuidados com os animais.

“Vamos divulgar orientações de cuidados básicos com os animais durante a temporada de verão, a partir de ações que promovam a saúde humana e assegurem os Direitos Animais”, informou a coordenadora da REDA, Rosana Gnipper.

Fonte: AEN/PR

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.