Menino aproveita tempo livre para ajudar cães durante o isolamento em Belém, PA

Menino aproveita tempo livre para ajudar cães durante o isolamento em Belém, PA

Miguel Miranda Lucas tem apenas 10 anos, mas já sabe o significado de solidariedade. Durante o período de isolamento social, ele teve a iniciativa de confeccionar mandalas para vender e, com a renda, comprar medicamentos para cães que vivem na Universidade Federal do Pará (UFPA) em Belém.

“O Miguel fala-me sempre no seu sonho de ter uma fazenda onde possa cuidar de todos os animais abandonados do mundo. Quando começou a fazer mandalas, eu e o pai sugerimos esta ideia, para que compreendesse que todos podemos mudar um pouquinho o mundo agindo localmente”, conta a mãe de Miguel, Catarina Miranda, professora da UFPA.

No período de isolamento social, Catarina é voluntária do projeto Peludinhos da UFPA na distribuição de ração para os cães que vivem no campus e leva Miguel como ajudante. A alimentação de animais em cativeiro é permitida durante o “lockdown” (bloqueio total) no item 34 de atividades essenciais.

Miguel produz mandalas no isolamento para ajudar os animais. — Foto: Arquivo pessoal.

“Meu sonho é ajudar os animais que precisam. Eu e minha mãe alimentamos os cachorros na UFPA como voluntários e dado meu desejo de ajudar os animais e o meu gosto por fazer mandalas, tivemos essa ideia. Eu quero continuar a ajudar e conseguir ajudar bastante”, afirma Miguel.

Organizado, ele coloca todas as informações do seu projeto em uma planilha. O menino, que tem dois cachorros e um gato em casa, já arrecadou R$ 50 com seu trabalho e doou para compra de medicamentos aos Peludinhos.

“O Miguel tem feito praticamente tudo de forma independentemente, até uma planilha em computador fez sozinho para organizar as suas encomendas. De vez em quando pede-me alguma sugestão em termos de cores e vou tentar comprar mais fio, pois está terminando. É praticamente só essa a minha ajuda”, conta Catarina.

Peludinhos precisam de ajuda
 
Atualmente, o projeto Peludinhos da UFPA assiste 255 cães no campus da UFPA, no bairro do Guamá. Voluntários estão em revezamento por escala para levar ração aos animais, que ficaram dentro da universidade.

“Nós estamos com muitas necessidades. Diminuíram as doações, estamos precisando de medicamentos, materiais de limpeza”, afirma Elizabete Pires, coordenadora do projeto.

Quem quiser mais informações sobre como ajudar os cachorros na UFPA pode ligar para o número (91) 99175-3009 ou acessar a página do projeto nas redes sociais.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.